Clique e assine com até 75% de desconto

VW Up! e Fiat 500 podem ganhar sobrevida no Brasil, mas como elétricos

Orçamentos apertados e restrições às emissões farão marcas transformarem modelos de entrada em elétricos mais acessíveis

Por Igor Macário Atualizado em 19 out 2020, 11h43 - Publicado em 19 out 2020, 07h09
Volkswagen e-Up! custa o equivalente a R$ 100 mil na Europa Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

Pouco depois de um ano após confirmarmos que a VW pretende trazer modelos elétricos para o Brasil, os contornos da ofensiva elétrica da marca por aqui começam a se revelar. Ao que tudo indica, o Up! elétrico, muito elogiado pelo presidente da VW brasileira, Pablo Di Si, será mesmo o primeiro modelo do tipo a chegar por aqui.

Segundo informações do site Mobiauto, o e-Up! deverá chegar às ruas brasileiras em 2021. O modelo começou a ser testado na Argentina em agosto e, se a VW brasileira realmente for vender o modelo por aqui, deverá começar a trabalhar com o carro por aqui em breve.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine por apenas R$ 5.90

Isso porque para ser vendido aqui, o e-Up! deverá passar por algumas adaptações, principalmente para circular em nossas vias, nem sempre tão bem cuidadas como as europeias. Por aqui, o preço pode rondar os R$ 100 mil, relativamente baixo para um elétrico.

“Adorei esse Up! elétrico. Em uma reunião hoje com meu time, falei que precisamos desse carro no Brasil, mas precisamos levantá-lo [as suspensões]”, nos disse Pablo Di Si no Salão de Frankfurt do ano passado.

E a vinda do Up! elétrico pode, inclusive, significar a sobrevivência do emblema por aqui. O Up! deixou de ser o Volkswagen mais barato na linha 2021 e agora só tem uma versão à venda e com futuro não muito promissor.

Continua após a publicidade

A tendência à eletrificação não é exclusividade do Up!. O Fiat 500 acaba de ser “reinventado” como um compacto totalmente elétrico, vem fazendo sucesso na Europa e indica que esta pode ser a saída para vários modelos pequenos no futuro.

Divulgação/Fiat

O 500 elétrico, aliás, está previsto para chegar ao Brasil até 2021. O modelo foi amplamente renovado e tem motor elétrico de 118 cv. A autonomia  chega a 320 km. O preço na Europa ainda não foi revelado, mas certamente ele não será um carro barato.

Já a Renault revelou o Dacia Spring, baseado em ninguém menos que o nosso conhecido Kwid. O modelo foi mostrado como opção elétrica de entrada para o mercado europeu.

Com as marcas cada vez mais com a “corda no pescoço” desenvolver motores a combustão de pequeno porte, que sejam eficientes e estejam dentro das regras mais rígidas antipoluição vem ficando proibitivo por conta do custo. A alternativa é torná-los elétricos de uma vez.

Embora mais caros do que suas variantes a combustão, esses pequenos elétricos ainda são bem mais baratos do que modelos grandes, como Tesla ou Polestar. Na Alemanha, um e-Up! parte de 21.421 euros, quase rigorosamente metade do Tesla Model 3 mais barato, a 42.900 euros.

Claro, o Tesla é mais potente e tem autonomia bem maior, ainda que o e-Up! rode respeitáveis 260 km por recarga, além de mais luxuoso e cheio de tecnologia. Mas o compacto se coloca como uma opção mais em conta para deslocamentos urbanos num cenário de emissões cada vez mais restritas. E pode ser esse o caminho para elétricos mais baratos no Brasil.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Arte/Quatro Rodas
Continua após a publicidade
Publicidade