Clique e assine com até 75% de desconto

VW pode ter fraudado testes de emissões de outros três motores

Agência de notícias Reuters cita fontes ligadas à marca; suspeitas são de que mais funcionários participaram do esquema

Por Vitor Matsubara Atualizado em 9 nov 2016, 14h43 - Publicado em 20 out 2015, 13h38
entretenimento

O escândalo da Volkswagen, que desenvolveu um software para burlar testes de emissões de poluentes, pode se agravar. Segundo informações da Reuters, a empresa teria fraudado outras três linhas de motores fora a família EA189 a diesel, que não foram especificadas pela agência de notícias. A revelação teria sido feita por três fontes ligadas à empresa.

Caso a informação se confirme, crescem as suspeitas de que um número maior de funcionários da Volkswagen estivessem envolvidos no esquema de adulteração dos motores. Especialistas da indústria afirmam que a montadora precisaria ter financiado continuamente uma equipe de profissionais para desenvolver variações do software ilegal. Recentemente, a revista alemã “Der Spiegel” afirmou que “pelo menos 30 pessoas” participaram da fraude. A promotoria local, por sua vez, declarou haver “menos de dez” diretores ligados ao caso.

Até o momento, a Volkswagen afirmou que 11 milhões de veículos saíram de fábrica com o software. Na semana passada, a marca anunciou que, a partir de 2016, convocará um recall de 8,5 milhões de carros movidos a diesel apenas na Europa para substituir o componente ilegal. O único modelo a diesel comercializado no Brasil é a Amarok, mas a filial da VW ainda não confirmou se a picape possui ou não o software para burlar testes de emissões.

LEIA TAMBÉM:

>> Leonardo Di Caprio pode produzir filme sobre fraude dos motores diesel da VW

>> Entenda o que o escândalo do diesel pode acarretar para a Volkswagen

Continua após a publicidade
Publicidade