Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Venda de carros para PCD terá regras mais rígidas a partir de 2021

Determinação limitará acesso a isenção para candidatos com limitações moderadas de mobilidade, serão exigidos exames que comprovem a condição

Por Isadora Carvalho Atualizado em 29 dez 2020, 15h45 - Publicado em 7 ago 2020, 07h00
PCD
Nova lei para PcD se torna mais rigorosa a partir de 2021 Reprodução/Internet

O mercado PcD ganhou relevância nos últimos anos e no último mês, inclusive, definiu o modelo mais vendido do país.

Mas quem quiser entrar nesse mercado e usufruir das isenções oferecidas pela lei terá que se adequar às novas regras.

A compra de veículos PcD passará a seguir novas regras. A diferença é que a isenção de impostos em sua totalidade só será concedida a pessoas deficiências de grau moderado a grave e que provoquem limitações de mobilidade.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 6,90

A legislação foi alterada pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) e publicada na última segunda-feira (3), no Diário Oficial da União. Elas entram em vigor em 1º de janeiro de 2021 e impactam apenas o imposto de estadual, o ICMS (que no Brasil varia entre 12% e 20%). O federal, IPI, continua com as regras inalteradas. 

“É importante esclarecer que o número de patologias que são aceitas pela lei continua o mesmo, o que mudou é que as doenças deverão trazer limitações significativas para a mobilidade do candidato a isenção fiscal”, diz Alessandro Fernandes, do Blog do Cadeirante.

  • Segundo Fernandes a nova lei mudará o grau de exigência das perícias realizadas nos Detrans. “Antes o cidadão tinha que apresentar um laudo médico atestando a sua condição, mas a partir da nova lei esse laudo deve estar acompanhado de exames que comprovem a sua deficiência”, afirma.

    Continua após a publicidade

    A secretaria da Fazenda do estado de São Paulo disponibiliza em seu site oficial a relação de quais doenças em grau moderado a grave são aceitas para o requiremento da isenção de ICMS na aquisição de modelos zero km.

    São elas: paraplegia, paraparesia, monoplegia, monoparesia, nanismo, tetraplegia, tetraparesia, triparesia, hemiplegia, hemiparesia, amputação ou ausência de membro, paralisia cerebral e membros com deformidade congênita ou adquirida, exceto as deformidades estéticas e as que não produzam dificuldade para o desempenho de funções.

    Ainda estão inclusas a deficiência visual, caso apresente acuidade visual igual ou menor que 20/200 (tabela de Snellen) no melhor olho ou o campo visual inferior a 20°, a deficiência mental severa ou profunda e autismo.

    De acordo com Sandra Santini, cliente PcD e proprietária de um Hyundai Creta, as novas regras limitarão o acesso às isenções por candidatos que possuem boas condições de mobilidade e que não tem a real necessidade do acesso a um modelo com câmbio automático por um valor mais acessível.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da nova edição de Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Capa da QR

     

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade