Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Vale esperar – Honda Vezel

Até o ano que vem o mercado nacional será invadido por modelos que vale a pena esperar antes de fechar um negócio. O Honda Vezel é um deles

Por Paulo Campo Grande, Péricles Malheiros e Ulisses Cavalcante Atualizado em 8 nov 2016, 21h35 - Publicado em 4 ago 2014, 21h30
geral

O Vezel será uma das principais atrações do Salão do Automóvel de São Paulo, no fim de outubro. Mas suas vendas só começam em março de 2015 – se as obras de construção da nova fábrica da Honda, em Itirapina, interior de São Paulo, não atrasarem. A espera será longa, mas, pelo que se viu até agora, deverá valer a pena. Andamos no Vezel no Japão, onde ele já é vendido, e ficamos bem-impressionados.

O modelo nacional terá características próprias de estilo, de equipamentos e da parte mecânica. Mas a essência do projeto é a mesma. Pode-se esperar três ou quatro versões de acabamento, trazendo de série ar-condicionado, sistema de som, rodas de liga leve, ABS e duplo airbag, desde a ver- são de entrada. Controle de estabilidade VSC, central multimídia e piloto automático estarão só nas mais caras. Todas deverão vir ainda com sistema de gestão de consumo ECON, bancos modulares e para-choques da cor da carroceria, entre outros.

Veja outros modelos que vale a pena esperar antes de fechar um negócio

Seus preços ficam entre R$ 65 000 e R$ 75 000. A Honda quer posicionar o Vezel ligeiramente acima do Ford EcoSport básico, brigando com o rival a partir da faixa intermediária do segmento.

O motor do Honda será o 1.8 flex, de 140 cv (que equipa atualmente o Civic de entrada), e virá com duas opções de transmissão: automática CVT e manual de seis marchas.A tração será 4×2 dianteira, pelo menos em um primeiro momento. No Japão, o cliente pode escolher entre as versões 4×2 e 4×4. Apesar de desenvolvido sobre a plataforma do pequeno Honda Fit, o Vezel é encorpado e em nada lembra a minivan, a não ser pela mobilidade dos bancos. Quando se abre a porta traseira, a impressão é de que o espaço interno no banco de trás é igual ao do seu irmão maior, o Honda CR-V. O porta-malas tem 400 litros de capacidade, 36 litros a mais que o do Ford EcoSport.

Continua após a publicidade

Em nosso test-drive, sentimos a direção (elétrica) mais pesada que o costume nos Honda nacionais, assim como a suspensão nos pareceu mais firme, transmitindo para a cabine cada irregularidade do asfalto. Por isso, a expectativa é de que uma nova calibragem deixe o modelo brasileiro mais confortável. Mas, de modo geral, o Vezel se mostrou um carro fácil de manobrar e gostoso de dirigir.

A Honda planeja vender 3 000 Vezel por mês no Brasil, o que é um volume 30% menor que o do EcoSport, considerando a média das vendas do concorrente entre janeiro e abril deste ano. Para satisfazer o mercado, a empresa pode até mudar o nome do carro. Para isso, a Honda vai fazer pesquisas para descobrir a preferência do consumidor. Uma das alternativas é Urban, nome usado na fase de carro-conceito. A outra é HR-V (High Rider Vehicle), escolhida para identificar o Vezel nos Estados Unidos e no México. Essa sigla já batizou outro SUV da Honda, vendido no Japão entre 1999 e 2005.

Estreia: 03/2015

Preço: R$ 65 000

Concorrentes: EcoSport, Grand Vitara

Continua após a publicidade

Publicidade