Tudo o que já sabemos sobre o Citroën C4 Cactus nacional

Novo SUV da marca já tem data de estreia e terá configuração inédita no Brasil para brigar com Honda HR-V e Hyundai Creta

Citroën C4 Cactus Protótipo Design externo da versão nacional é idêntico ao modelo europeu

Design externo da versão nacional é idêntico ao modelo europeu (Divulgação/Citroën)

O Groupe PSA aposta forte no segmento de SUVs para elevar suas vendas – e participação de mercado – no Brasil.

Depois da chegada de uma nova versão do Peugeot 3008 e do 5008, a fabricante francesa concentra seus esforços no inédito C4 Cactus nacional.

O SUV está previsto para chegar somente em setembro, mas QUATRO RODAS teve acesso antecipado ao modelo e conta tudo o que já se sabe sobre ele.

Citroën C4 Cactus A suspensão traseira será por eixo de torção, como no Peugeot 2008

A suspensão traseira será por eixo de torção, como no Peugeot 2008 (Divulgação/Citroën)

Por termos guiado protótipos em desenvolvimento do C4 Cactus, não poderemos descrever itens como acabamento e impressões ao dirigir.

Mas, se quiser ter ideia de como ele se comportará, uma boa dica é guiar o novo C4 Lounge.

Finalmente, automático

Citroën C4 Cactus Protótipo Foram avaliados diferentes protótipos na divisa entre RJ e SP

Foram avaliados diferentes protótipos na divisa entre RJ e SP (Pedro Bicudo/Divulgação/Citroën)

Isso porque o C4 Cactus será o primeiro modelo da PSA feito no Brasil a oferecer o conjunto composto pelo 1.6 THP flex associado a um câmbio automático de seis marchas.

Até então esse trem de força estava disponível apenas no sedã argentino da Citroën e nos Peugeot 408 e 308.

Vale lembrar que, por conta de restrições da plataforma, o “irmão” Peugeot 2008 só oferece o motor turbo com a caixa manual de seis marchas.

Citroën C4 Cactus Protótipo A camuflagem pesada serve para esconder as linhas finais do modelo antes de seu lançamento

A camuflagem pesada serve para esconder as linhas finais do modelo antes de seu lançamento (Pedro Bicudo/Divulgação/Citroën)

Essa diferença foi possível porque o C4 Cactus adota uma versão modificada da arquitetura usada pelo 208, 2008, C3 e Aircross.

Apesar das diferenças, o SUV usa a mesma solução de suspensão dos outros modelos compactos, com um conjunto McPherson no eixo dianteiro e eixo de torção na traseira.

Citroën C4 Cactus Protótipo QUATRO RODAS rodou com a inédita versão THP Flex automática do C4 Cactus

QUATRO RODAS rodou com a inédita versão THP Flex automática do C4 Cactus (Pedro Bicudo/Divulgação/Citroën)

E, segundo o site Autos Segredos, o C4 Cactus também terá versões mais básicas, equipadas com o 1.6 16V aspirado de até 122 cv usado por outros modelos compactos do grupo.

Melhor e pior

Citroën C4 Cactus Nacional O teto em dois tons da versão nacional é exclusivo, mas pode ficar restrito às versões mais caras ou ser cobrado à parte

O teto em dois tons da versão nacional é exclusivo, mas pode ficar restrito às versões mais caras ou ser cobrado à parte (Divulgação/Citroën)

Outra diferença do C4 Cactus que será feito em Porto Real (RJ) em relação à sua versão europeia é justamente nas molas e amortecedores.

Ao menos nos protótipos avaliados, o conjunto não usava o inovador amortecedor hidráulico progressivo criado pela empresa.

A Citroën se recusou a comentar qualquer detalhe sobre o SUV neste primeiro contato, mas nossa aposta é que a promissora suspensão fique de fora da versão nacional por conta de custos.

Citroën C4 Cactus Nacional O teto-solar presente nas versões europeias não parece estar nos planos do C4 Cactus brasileiro

O teto-solar presente nas versões europeias não parece estar nos planos do C4 Cactus brasileiro (Divulgação/Citroën)

Apesar disso, o modelo desenvolvido para a América Latina tem um interior mais interessante do que o C4 Cactus europeu.

Citroën C4 Cactus Nacional Detalhe Painel Detalhe de uma das primeiras imagens oficiais do C4 Cactus mostra painel de LCD monocromático

Detalhe de uma das primeiras imagens oficiais do C4 Cactus mostra painel de LCD monocromático (Divulgação/Citroën)

O painel da versão brasileira é mais conservador, porém mais completo.

No lugar da tela flutuante foi usado um quadro de instrumentos mais convencional – apesar de digital -, igual ao do C4 Lounge.

O sistema multimídia também é igual ao do sedã, mas com uma inversão em relação ao C4 Cactus europeu.

Aqui os difusores do ar-condicionado ficam por cima da tela, enquanto lá fora ocorre o contrário.

A central multimídia e os (poucos) botões físicos do ar-condicionado do C4 Lounge vão se repetir no Cactus nacional

A central multimídia e os (poucos) botões físicos do ar-condicionado do C4 Lounge vão se repetir no Cactus nacional (Divulgação/Citroën)

A pouco prática centralização dos controles do ar-condicionado no próprio multimídia também se repete no Cactus nacional.

Os únicos botões físicos para a climatização são para o modo de desembaçador e de refrigeração máxima – além do botão que abre o comando no sistema no multimídia.

Citroën C4 Cactus Protótipo A cada parada feita na rodagem com os protótipos os modelos eram cobertos por uma lona lacrada por um cabo de aço em sua base

A cada parada feita na rodagem com os protótipos os modelos eram cobertos por uma lona lacrada por um cabo de aço em sua base (Pedro Bicudo/Divulgação/Citroën)

Por falar em botão, um grande comando giratório se destaca logo abaixo da tela central de LCD.

Ele serve para comandar o sistema Grip Control, já presente no 2008 THP, que altera as configurações do ESP para otimizar a tração do SUV (que tem tração dianteira) em terrenos de baixa aderência.

Nos modelos avaliados fez falta também a ausência de borboletas para trocas de marcha, teto solar e opção para mais entradas USB (havia apenas uma).

Avisa e para

Uma boa surpresa foi o pacote de equipamentos disponíveis no Brasil.

citroen c4 lounge 2018 O quadro de instrumentos do C4 Cactus é o mesmo já usado no C4 Lounge reestilizado (foto)

O quadro de instrumentos do C4 Cactus é o mesmo já usado no C4 Lounge reestilizado (foto) (Divulgação/Citroën)

Nos protótipos avaliados estavam itens como abertura de porta e partida do motor por chave presencial, luzes diurnas em LEDs, teto bicolor, ar-condicionado com três modos automáticos (suave, padrão e forte), ESP e seis airbags.

A novidade do conjunto, já ofertado por boa parte da concorrência, está na inclusão de alerta de troca inadvertida de faixa, aviso de cansaço do motorista e frenagem autônoma de emergência.

Os itens são raros no segmento e podem servir como diferencial para o SUV se destacar na concorrida faixa de preço no qual se situará.

A expectativa é que a versão topo de linha do C4 Cactus seja posicionada logo acima do Peugeot 2008, que atualmente custa R$ 89.990.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

  1. Ronaldo Marques

    Me identifico com a PSA (Os DS, Citroen e Peugeot), gosto dos produtos… Mas convenhamos, toda marca tem seus pontos fortes e fracos (swot), infelizmente não creio que estas mesma estratégia de sempre fara graaande sucesso: Europa projetos OK completos. Brasil (ou América Latina) incompletos redusidos ineficientes.

    Power train Híbridos, supenção hidáulica adaptativa ou prograssiva, aletas de trocas de maarchas, start-stop: quase sempre estão de fora dos projetos por aqui.

    Meu comentário: estes diferenciais fariam eu comprar o produto.