Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Top Ten: estes 10 nomes de carro são tão fortes que viraram marcas

Nomes de automóveis de sucesso que ganharam status de marcas independentes

Por Redação 22 ago 2019, 07h00

De volta às origens

SRT (Street & Racing Technology) Viper Acervo/Quatro Rodas

A sigla SRT (Street & Racing Technology) imortalizou os esportivos da Dodge, Jeep e Chrysler, como o Viper – era como se chamava a versão apimentada do cupê. Em 2013, na quinta geração, o nome ganhou vida própria e o modelo virou SRT Viper. Após dois anos, advinha quem voltaria a ser apenas uma divisão esportiva da Dodge?

Peso na categoria

Cupra deixou de ser apenas um modelo esportivo da Seat e se tornou a linha esportiva da marca Acervo/Quatro Rodas

A fabricante espanhola Seat, do Grupo VW, fez tanto sucesso nas categorias de rali e turismo com o modelo Cupra que, em 2018, rebatizou sua divisão de alta performance Seat Sport de Cupra Racing e Cupra passou a ser uma marca própria, com o TCR (foto) e o SUV Ateca.

Negócio da China

O sedã Jetta se tornou marca da Volkswagen na China, devido ao grande sucesso no país Acervo/Quatro Rodas

O mercado chinês sempre foi importante para a VW, em especial para o bem-sucedido Jetta. Daí, a partir de 2019, esse nome passou a ser uma marca de baixo custo para jovens entre 25 e 35 anos. Entre os modelos, dois SUVs e um sedã já ganharam a nova identidade.

O carneiro virou Ram

Camionete que carregava o nome Dodge passou a ser chamada apenas de Ram Acervo/Quatro Rodas

O carneiro da Dodge decorava a grade das picapes Ram, mas em 2010 tudo passou a fazer parte da FCA (Fiat Chrysler Automobiles). Com isso, a estratégia de negócios mudou: a Dodge ficou só com os veículos de passeio e Ram tornou-se uma marca de utilitários.

Energia de sobra

A Polestar se tornou a marca de veículos elétricos da Geely, proprietária da Volvo Acervo/Quatro Rodas

Comprada pela chinesa Geely (dona da Volvo)em 2015, a Polestar fabricou esportivos para a montadora sueca e, em 2017, tornou-se independente, com produção de esportivos elétricos, entre eles o Polestar 1, um modelo inspirado no car show Volvo Concept Coupe.

Continua após a publicidade

Divisão de classes

A DS era um sigla para os clássicos da Citroen para se tornar marca do grupo PSA Acervo/Quatro Rodas

A DS (Different Spirit ou Distinctive Series) é uma alusão aos clássicos da Citroën como o modelo feito de 1955 a 1975. A partir de 2009, a sigla tornou-se uma firma do grupo PSA (Peugeot, Citroën, Opel e Vauxhall), oferecendo o DS3, DS4, DS5, DS6 e DS7.

Minidetalhes

O Mini se tornou muito famosa ao aparecer no seriado “Mr. Bean”. Mesmo pertencendo ao grupo BMW, os carros seguem tendo como marca a Mini Acervo/Quatro Rodas

Com motores de 850 e 1.275 cm³, o modelo Mini, produzido de 1959 a 2000 pela British Motor Corporation (até 1968), British Leyland  (até 1986) e Rover Group, ficou tão famoso que virou até astro da série de humor Mr.Bean. Hoje a Mini é marca própria, do Grupo BMW.

Independente só aos 50

A AMG prepara os Mercedes para competição. Comprada pelo grupo Daimler passou a ser responsável pelo superesportivo SLS Acervo/Quatro Rodas

Desde 1967, a AMG preparava Mercedes para competições e modelos de rua como o 190E e o “The Hammer”, um dos mais velozes de sua época. Em 1993, foi absorvida pela Daimler e acabou por se tornar marca própria. O SLS, de 2010, foi o primeiro feito totalmente pela AMG.

Eu e mais ninguém

O Genesis fez sua fama por onde passou e deixou de lado emblema da Hyundai, sua produtora, por ter ganho a própria ‘personalidade’ Acervo/Quatro Rodas

Procure um Genesis feito a partir de 2017 e verá que não há o “H” estilizado da Hyundai na sua dianteira. Criado em 2008 para concorrer com os sedãs de alto luxo, o modelo coreano passou a ostentar logotipo próprio nove anos depois, ao contrário dos demais Hyundai.

Sangue italiano

Depois de voar baixo nas pistas, a Abarth se tornou um segmento esportivo da Fiat Acervo/Quatro Rodas

De 1949, a Abarth fez seu nome nas pistas nos anos 60, enfrentando equipes já consagradas, como Porsche e Ferrari. Adquirida pela Fiat em 1971, hoje é uma divisão independente, que produz o 124 Spider Turismo, além dos Fiat 500 esportivos rebatizados de Abarth 595 e 695.

Continua após a publicidade

Publicidade