Tesla precisou consertar 86% dos carros novos fabricados

Documentos internos apontaram que 4.300 carros feitos na última semana de junho precisaram de reparos após a produção

Fábrica da Tesla nos EUA: problemas constantes de qualidade

Fábrica da Tesla nos EUA: problemas constantes de qualidade (Divulgação/Tesla)

Se você acha que sua vida está difícil, pensa em como está a equipe de relações-públicas da Tesla (se é que existe uma).

Isso porque a marca enfrenta mais uma (má) notícia sobre seu controle de qualidade – o mesmo que permitiu que um carro fosse montado com a porta errada.

Segundo documento interno, 4,7 mil Tesla fabricados na última semana de junho precisaram de reparos

Segundo documento interno, 4,7 mil Tesla fabricados na última semana de junho precisaram de reparos (Divulgação/Tesla)

A última novidade é um documento interno da empresa que vazou a respeito da produção da empresa. Mais especificamente, sobre a última semana de junho, período em que a companhia de Elon Musk acelerou a linha para chegar à meta de 5.000 unidades fabricadas no período.

Segundo funcionários, boa parte dos problemas envolve a parte manual da linha de montagem

Segundo funcionários, boa parte dos problemas envolve a parte manual da linha de montagem (Divulgação/Tesla)

O detalhe é que, deste volume, 4.300 carros, ou 86% da produção, teve que passar por reparos após a fabricação para consertos de diferentes tipos.

O próprio Musk já admitiu que a Tesla tem problemas de fluxo em suas linhas de montagem

O próprio Musk já admitiu que a Tesla tem problemas de fluxo em suas linhas de montagem (Divulgação/Tesla)

Um dos índices de qualidade da indústria automotiva é o rendimento de primeira passagem (FPY, na sigla em inglês). Ele especifica qual o percentual dos produtos manufaturados que saem da linha não requerem nenhum tipo de retrabalho.

Atualmente a Tesla fabrica três modelos, e pretende lançar mais dois – além de um caminhão

Atualmente a Tesla fabrica três modelos, e pretende lançar mais dois – além de um caminhão (Divulgação/Tesla)

Segundo especialistas ouvidos pelo site Business Insider, o índice de uma montadora consolidada circula entre 65% e 80% – bem distante dos sofríveis 14% da Tesla na última semana de junho.

Nesse período também se espalharam rumores de funcionários sobrecarregados e pressões excessivas da empresa, inclusive do próprio Elon Musk, que chegou a dormir na fábrica para acompanhar de perto da produção.

A empresa fundada pelo criador do Pay Pal também enfrenta problemas que vão desde acidentes fatais com o sistema de condução semiautônomo de seus carros, prejuízos constantes e até a postura de Musk.

Nas últimas semanas, por exemplo, o empresário sul-africano sugeriu nas redes sociais que tiraria as ações da Tesla da bolsa de valores, abalando o mercado e incomodando os órgãos regulatórios.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Falar de Elon Musk sempre rende muita atenção/cliques do público. Eu imagino como deve ter sido há cerca de 100 anos a sabatina encima do senhor Henry Ford