Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Estes são os SUVs mais econômicos do Brasil em 2021

Ranking baseado em classificação do Inmetro tem variedade de modelos e nomes esquecidos do mercado; Tracker aparece três vezes

Por Guilherme Fontana Atualizado em 5 out 2021, 12h35 - Publicado em 5 out 2021, 12h22
Chevrolet Tracker Premier 1.2 2021
Chevrolet Tracker Christian Castanho/Quatro Rodas

O segmento dos SUVs não para de crescer, seja nas vendas, ou na quantidade de modelos oferecidos. Por isso, caso você esteja interessado em fazer parte deste crescimento em tempos de combustíveis caros, é bom atentar ao consumo de combustível.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Depois de apontar os 10 carros mais econômicos do Brasil, QUATRO RODAS agora selecionou os 10 SUVs que menos consomem combustível no país. A lista foi feita a partir do Programa Brasileiro de Etiquetagem do Inmetro, para 2021.

Os modelos foram selecionados pela classificação média de consumo energético, medido em MJ/km (mega joule por quilômetro) e obtido pelos consumos urbanos e rodoviários com os respectivos combustíveis que abastecem os veículos.

Consideramos para o ranking modelos e versões vendidos atualmente no mercado brasileiro, abastecidos a gasolina, etanol ou diesel, sem o auxílio de motores elétricos que configurem conjuntos híbridos. Além disso, a lista leva em conta a menor média obtida pelos modelos com suas respectivas motorizações e transmissões, independentemente de versões.

Suzuki S-Cross
Suzuki S-Cross Christian Castanho/Quatro Rodas

Veja abaixo quais são os 10 SUVs mais econômicos do Brasil

1º – Chevrolet Tracker 1.0 turbo manual

Enquanto o Onix Plus se consagra como o modelo mais econômico no ranking geral, outro modelo da Chevrolet também ocupa o topo do pódio entre os SUVs.

O Tracker lidera com a rara configuração formada pelo motor 1.0 turbo de 116 cv e um câmbio manual de 6 marchas, que obteve as médias de consumo de 9 km/l na cidade e 10,4 km/l na estrada quando abastecido com etanol. Com gasolina no tanque, o modelo alcança os 13 km/l na cidade e 14,8 km/l na estrada.

2º – Chevrolet Tracker 1.0 turbo automático

Se a configuração do Tracker que lidera o ranking não é tão facilmente encontrada no mercado, a que ocupa o segundo lugar é a mais vendida do modelo. Aqui, o mesmo motor 1.0 turbo é combinado a um câmbio automático de 6 marchas. Segundo o Inmetro, o consumo foi de 8,2 km/l na cidade e 9,6 km/l na estrada com etanol, e de 11,9 km/l na cidade e 13,7 km/l na estrada com gasolina.

3º – JAC T40 1.5 manual

Segundo modelo com pedal de embreagem da lista, o chinês tem um motor 1.5 de até 127 cv e o câmbio, manual, é de 5 marchas. Para ele, as médias aferidas foram de 8,1 km/l em ciclo urbano e 8,7 km/l no rodoviário, com etanol. Com gasolina, os números caem para 11,9 km/l na cidade e 12,8 na estrada.

JAC T40 Plus
JAC T40 Plus Divulgação/JAC
Continua após a publicidade

4º – Suzuki S-Cross 1.4 turbo automático

Apesar de esquecido no mercado brasileiro, o SUV japonês oferece predicados como o baixo consumo e o motor 1.4 turbo de 146 cv, aliado ao câmbio automático de 6 marchas e ao sistema de tração integral. Ele é abastecido apenas a gasolina e faz, segundo o Conpet, as médias de 11,5 km/l na cidade e 13,3 km/l na estrada.

5º – Suzuki Vitara 1.4 turbo automático

A dobradinha com o “irmão” não é por acaso: o Vitara deixou de oferecer as versões com motor 1.6 aspirado e agora é equipado com o mesmo conjunto mecânico do S-Cross, também abastecido apenas a gasolina. Assim, obteve as médias de consumo de 11,5 km/h em ciclo urbano e 12,9 km/l em circuito rodoviário.

Suzuki Vitara
Suzuki Vitara Divulgação/Suzuki

6º – Nissan Kicks 1.6 automático

Tracker e Kicks são os últimos SUVs compactos a oferecerem câmbio manual. Diferentemente do rival, porém, a maior economia vem com a transmissão automática – neste caso, CVT, de relações contínuas, sem simulações de marchas. O motor é o 1.6 flex de até 114 cv. Segundo a classificação, o modelo obteve as médias de 7,6 km/l na cidade e 9,3 na estrada com etanol, e, com gasolina, 11,3 km/l na cidade e 13,6 km/l na estrada.

7º – Honda WR-V 1.5 automático

O modelo é sempre equipado com motor 1.5 flex de até 116 cv e câmbio CVT, também sem simulação de marchas, como no Nissan Kicks. Com esse conjunto, as médias obtidas pelo Inmetro foram de 8,1 e 8,8 km/l na cidade e na estrada, respectivamente, com etanol. Abastecido com gasolina, o consumo vai a 11,7 km/l na cidade e 12,4 km/l na estrada.

8º – Toyota Corolla Cross 2.0 automático

Mesmo sem considerar configurações híbridas, ainda assim o Corolla Cross aparece entre os 10 SUVs mais econômicos do país. Neste caso, o oitavo colocado é equipado com o motor 2.0 flex de até 177 cv e câmbio CVT com simulação de 10 marchas. O consumo ficou em 8 km/l na cidade e 9 km/l na estrada com etanol, e 11,5 km/l na cidade e 12,8 km/l na estrada com gasolina.

Toyota Corolla Cross XRE 2.0 2022
Fernando Pires/Quatro Rodas

9º – Citroën C4 Cactus 1.6 automático

Apesar de antigo, o motor 1.6 aspirado de até 118 cv que equipa o C4 Cactus ainda rende bons números de consumo. Com o câmbio automático de 6 marchas, o SUV conquistou as médias de 7,8 km/l em ciclo urbano e 9,4 no rodoviário com etanol. Com gasolina, foram 11,1 km/l na cidade e 13,1 km/l na estrada.

10º – Chevrolet Tracker 1.2 turbo automático

O décimo colocado marca a presença de todas as configurações do Tracker entre os SUVs mais econômicos do país, segundo o Inmetro. Com o motor 1.2 turbo de até 133 cv e câmbio automático de 6 marchas, o modelo chegou às médias de 7,7 km/l na cidade e 9,4 km/l na estrada com etanol, e 11,2 km/l na cidade e 13,5 km/l na estrada com gasolina.

Chevrolet Tracker
Chevrolet Tracker Christian Castanho/Quatro Rodas

BÔNUS – Toyota Corolla Cross híbrido

Apesar de não considerarmos os híbridos nesta seleção, é impossível ignorar o único SUV médio que combina combustão e eletricidade – e, não por acaso, o SUV híbrido mais vendido e acessível do país. O modelo combina um motor 1.8 flex de até 101 cv a um motor elétrico de 72 cv.

Toyota Corolla Cross XRX Hybrid flex 2022
O modelo XRX Hybrid foi a versão que sofreu o maior aumento nos preços em SP. Entretanto, foi o menor aumento nos demais estados Fernando Pires/Quatro Rodas

Como em todo modelo híbrido, as melhores médias de consumo são vistas na cidade pelo uso mais frequente do motor elétrico, que é menos presente em ciclos rodoviários. No Corolla Cross Hybrid as médias ficaram em 11,8 km/l na cidade e 9,6 km/l na estrada com etanol, e 17 km/l na cidade e 13,9 km/l na estrada com gasolina.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Capa 749

Continua após a publicidade

Publicidade