Clique e assine com até 75% de desconto

Segredo: Renault Captur será renovado em 2021, mas não como o europeu

SUV ganhará as evoluções do Duster e novo motor 1.3 turbo, mas seguirá o design da antiga versão topo de linha na Europa; Oroch mudará depois

Por Henrique Rodriguez e Marlos Ney Vidal 10 mar 2020, 07h00
Renault Captur Initiale foi lançado na Europa em 2017 Divulgação/Renault

Você verá na página 40 a evolução do Renault Duster para a linha 2021. Tanto que a fabricante francesa já espera que suas versões mais caras canibalizem parte das vendas do Captur, que ficará defasado por pelo menos um ano.

O SUV compacto, que surgiu em 2017 como uma alternativa premium e com design mais atraente ao Duster, só passará por reestilização em 2021, com o lançamento da linha 2022.

Coluna de direção com ajuste de profundidade, nova central multimídia e assistências eletrônicas como alerta de ponto cego e câmeras multivisão estão entre os novos equipamentos do Duster que também serão vistos no Captur.

Mas ele terá acessórios exclusivos, como faróis full-led – combinando com as lanternas e faróis de neblina, também de led – que já aparecem nas unidades flagradas em testes.

O novo visual, por sua vez, será inspirado no Captur Initiale Paris, lançado na Europa em 2017, e não na nova geração apresentada em 2019.

Versão europeia era menor que a brasileira, mas tinha plataforma de Clio Divulgação/Renault

Quer dizer que terá nova grade com pontos cromados flutuantes (à moda dos Mercedes) e novo para-choque frontal, que dá mais destaque aos faróis de neblina – que hoje ficam escondidos no nicho das luzes diurnas de led.

A traseira ganhará novos ares graças ao para-choque redesenhado, enquanto novas rodas serão o grande destaque na lateral.

O interior receberá atenção especial com uma completa remodelação do painel, dos painéis de porta e dos bancos.

Continua após a publicidade

São esperados plásticos de melhor qualidade e novo quadro de instrumentos (possivelmente digital), além do novo volante comum aos Renault mais recentes e dos novos comandos de ar-condicionado com mostradores digitais.

Motor Renault 1.3 TCe Divulgação/Renault

Um grande destaque do novo Captur será o novo motor 1.3 Energy TCe, com duplo comando de válvulas variável, turbo e injeção direta flex.

E foi justamente a necessidade de adaptar a injeção para trabalhar com etanol – o que deverá elevar sua potência aos 170 cv e o torque a mais de 27 mkgf – que impediu sua estreia junto com o novo Duster.

Na Europa há três versões desse motor, com 117, 142 e 162 cv e torque de 22,4, 24,5 e 27,5 mkgf, e o câmbio é manual ou automatizado de dupla embreagem.

O atual cronograma prevê o início da fabricação do novo motor entre agosto e setembro próximo e sua estreia no início de 2021.

Mas as honras devem ser das versões mais caras do Duster. O relançamento da versão 4×4 depende deste motor mais forte, mas o console central já tem local preparado para receber o seletor da tração.

Acervo/Quatro Rodas

Com tantas mudanças entre os SUVs compactos, a picape Duster Oroch poderá ficar um pouco de lado na linha Renault.

Acontece que o modelo lançado em 2015 – quando o Duster ganhou sua primeira reestilização – seguirá seu próprio ciclo de vida, de acordo com a Renault.

  • Isso pode significar que a picape compacta ainda receberá um facelift antes de passar pelas mudanças mais profundas que acabam de estrear no Duster. Mas é um carro importante para a marca: é exportada para vários mercados da África e América Central.

    Continua após a publicidade
    Publicidade