Segredo: Chevrolet Spin terá visual parecido com o do Cobalt

Visual retocado deve anteceder uma nova minivan, construída a partir de outra plataforma

Dianteira será parecida com a do Cobalt

Dianteira será parecida com a do Cobalt (Du Oliveira/Quatro Rodas)

No início do mês, a GM anunciou investimentos de R$ 1,4 bilhão para modernizar a fábrica de Gravataí (RS) e desenvolver novos carros.

Segundo apuramos, esses novos modelos são nove modelos: dois hatches, dois sedãs, um SUV, uma picape, um crossover e duas minivans (5 e 7 lugares). Serão os frutos da nova plataforma GEM (Global Emerging Markets), para mercados emergentes, como o nome diz.

A plataforma GEM deve ser utilizada nos substitutos dos atuais Onix, Prisma, Cobalt, Montana e Spin, todos baseados na antiga plataforma GSV. Especula-se também que a Chevrolet estaria preparando a chegada de um inédito subcompacto feito para rivalizar com Fiat Mobi, VW Up! e o recém-lançado Renault Kwid.

A renovação será gradual. Parte dos produtos chega em 2019, parte em 2020. Assim, alguns dos modelos atuais ainda passam por reestilização antes da aposentadoria.

É o caso da Spin, que deve ganhar alterações em um de seus aspectos mais criticados: o visual. Frente (grade, faróis, para-choque) e traseira (lanternas) serão semelhantes às do sedã Cobalt, que foi redesenhado na linha 2016. Essa novidade deve chegar ao mercado no início de 2018.

Novas lanternas irão invadir a tampa traseira

Novas lanternas irão invadir a tampa traseira (Du Oliveira/Quatro Rodas)

O facelift não deverá ser acompanhado de mudanças mecânicas – isso já foi feito no final de 2016, quando a Spin ganhou melhorias no veterano motor 1.8 8V, opção de câmbio manual de seis marchas (além do automático, também de seis velocidades) e um sistema de aerodinâmica ativa na grade frontal.

Mesmo pouco atrativa, a Spin ainda tem números de mercado consideráveis: no acumulado de janeiro a agosto de 2017, a minivan foi o 33º veículo mais vendido do país, com 15.358 unidades emplacadas. Colabora para isso a quase inexistência de concorrentes – Citroën Aircross, Fiat Doblo e JAC J6 acabam fugindo de suas características e posicionamento de preço.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Que horror. Também, o carro mais vendido do Brasil era zero estrela em segurança…

  2. Sergio Bertoni

    E com certeza eles não investir em nada para melhorar a segurança da Spin, só vão mudar a casca.