Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Retrocesso: Fiat Uno 2019 deve perder equipamentos e voltar ao motor Fire

Segundo site Autos Segredos, novo propulsor Firefly deixará de ser usado na próxima atualização do hatch

Por Rodrigo Ribeiro 1 jun 2018, 15h39
Motores modernos e versões mais caras, como a Sporting, darão adeus na linha 2019 do Uno Divulgação/Fiat

A próxima geração do Uno terá avanços significativos, como o retorno da mítica versão turbo.

Mas antes das melhorias, o hatch mineiro enfrentará alguns retrocessos.

De acordo com o jornalista Marlos Ney Vidal, do site Autos Segredos, o novo Uno 2019 será simplificado em equipamentos e motorizações para ficar mais barato.

A família Firefly usada até então no Uno é uma das mais modernas da categoria no Brasil Divulgação/Fiat

A mudança mais notória é a saída dos modernos motores Firefly de três e quatro cilindros (os mesmos que hoje equipam Mobi e Argo).

Essa linha de motores, que dará origem às futuras versões turbo de Uno, Argo e Cronos, será substituída pelo antigo Fire.

  • Esse 1-litro veterano estreou no Brasil em 2000 e havia saído de linha do catálogo na última reestilização do Uno, em 2016.

    Em relação ao 1.0 Firefly atual, o Fire tem menos potência (com etanol), torque e gasta mais combustível. Veja as diferenças abaixo:

    Motor Potência (cv) Torque (mkgf) Consumo Urbano (km/l)* Consumo Estrada (km/)*
    1.0 Fire 8V 73/75 (G/E) 9,5/9,9 (G/E) 11,5/8 13/9,1
    1.0 Firefly 6V 72/77 (G/E) 10,4/10,9 (G/E) 13,1/9,2 15,1/10,4

    *fonte: Programa Brasileiro de Etiquetagem

    Continua após a publicidade
    Versão única da linha 2019 será simplificada e terá apenas itens básicos Divulgação/Fiat

    A mudança vai além da troca de motores e incluirá o retorno da direção hidráulica, menos eficiente que o sistema eletroassistido usado atualmente.

    É possível também que Start-Stop, ESP e sistema de monitoramento de pressão dos pneus não estejam mais disponíveis.

    O Uno também deve passar por uma pequena mudança visual.

    Fiat Uno Mille Fire
    As mudanças são similares à que a Fiat fez com o antigo Mille Fire, que foi simplificado para ser mais barato Divulgação/Fiat

    A lista de equipamentos disponíveis será reduzida, bem como a oferta de itens de série – como direção assistida e ar-condicionado.

    Esses dois passarão a ser opcionais.

    As versões Way, Drive e Sporting sairão de linha e darão lugar a um pacote único, como o que foi feito com o novo Gol.

    Atualmente Mobi e Grand Siena são os únicos carros da Fiat a ainda oferecerem o 1.0 Fire.

    Com as mudanças, a expectativa é posicionar o novo Uno 2019 abaixo dos R$ 40 mil.

    É uma transformação curiosa, pois o Mobi deveria ser o carro de entrada da marca. A partir do ano que vem, o Uno deve retomar sua tradicional posição.

    Continua após a publicidade
    Publicidade