Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Renault anuncia SUV nacional inédito de olho em Compass e Corolla Cross

Provavelmente um SUV cupê, novo utilitário da Renault será irmão maior do Kardian e terá motores turbo flex, com boas chances de ser híbrido

Por Eduardo Passos
Atualizado em 4 dez 2023, 16h00 - Publicado em 4 dez 2023, 15h52

A indústria automotiva nacional segue recuperando fôlego, e agora foi a Renault quem anunciou investimentos e novidades importantes para o Brasil. Justo quando comemora 25 anos da sua fábrica no Paraná, a francesa confirmou que produzirá, nesse complexo industrial, um carro inédito para um dos segmentos mais quentes do mercado.

Aproveitando a visita do Presidente em exercício, Geraldo Alckmin, a Renault revelou que o Kardian terá um irmão mais velho, feito sobre a mesma plataforma do utilitário compacto apresentado há algumas semanas.

Seu nome ainda não foi definido, mas o carro inédito será um SUV médio que baterá de frente com os líderes Jeep Compass e Toyota Corolla Cross, entre vários outros. O investimento na sua criação gira em torno de R$ 2 bilhões, e é adequado apostar que o modelo estreia em 2025.

Complexo de São José dos Pinhais emprega 6.000 pessoas diretamente
Complexo da Renault em São José dos Pinhais, Santa Catarina (Divulgação/Renault)

Apuramos que, seguindo a moda, esse novo utilitário deve ser um SUV cupê. Considerando a identidade visual que a marca vem adotando globalmente, podemos esperar algo com dimensões parecidas à de um Renault Austral (4,51 m de comprimento) e traseira inspirada no Rafale, que ilustra essa reportagem.

Flex, e talvez híbrido

Mas serão carros diferentes: ao contrário de Jeep e Toyota, que nacionalizaram a produção de seus SUVs médios, a francesa não trará o Austral para nosso país, ainda que ele venha sendo testado nas ruas brasileiras.

Continua após a publicidade

Segundo Luiz Fernando Pedrucci, CEO da marca na América Latina, a ideia é criar um produto sob medida para mercados como o Brasil. Na prática, isso significa produtos mais simples mas que, como visto no Kardian, ainda apresentam bons níveis de equipamento e segurança.

Renault Austral 2023
Novo SUV médio da Renault terá dimensões semelhantes ao do Austral, mas não serão o mesmo carro (Divulgação/Renault)

É a plataforma RMP mostrando sua função novamente: ela é uma evolução da CMF-B LS, que, por sua vez, era uma simplificação da CMF-B HS, voltada para o mercado europeu. 

Como a Renault já avisou, várias vezes, o foco é vender menos carros, mas vender modelos mais caros — lucrando mais ao produzir menos. E se a América Latina é o segundo maior mercado da Renault após o Velho Continente, esse meio termo entre simples e complexo parece ideal para elevar o preço médio dos carros e, ao mesmo tempo, manter a competitividade e volume atraente (já que “vender menos” não é “vender pouco”). 

Continua após a publicidade
Compartilhe essa matéria via:

E é esse fator preço que também parece ter motivado as escolhas mecânicas do novo utilitário, que certamente será flex, mas só talvez será híbrido. Assim, espera-se que versões básicas tragam o motor 1.0 turbo estreado pelo Kardian, com 125 cv e 22,4 kgfm, enquanto as mais caras venham com 1.3 turbo da mesma família, girando em torno de 170 cv e 27,5 kgfm.

Renault Austral 2023

Esse é o 1.3 TCe, que já equipa Duster e Captur mas era importado da Espanha. Agora, o propulsor será feito no próprio complexo paranaense, num investimento adicional de R$ 100 milhões para essa nacionalização.

Continua após a publicidade

Se os ventos forem favoráveis, aí sim o SUV cupê poderá receber versões híbridas — e seria justamente essa possibilidade que explica os testes com o Austral no Brasil, já que o SUV médio dos europeus tem versões híbridas plenas e, inclusive, híbrida leve com o mesmo 1.3 que agora é paranaense.

Renault Austral 2023
(Divulgação/Renault)

Jogo de cintura

Segundo Pedrucci, anunciar o investimento bilionário significa que “vencemos mais uma batalha. É uma vitória da América Latina dentre o resto do mundo e do Brasil dentre a América Latina”.

Continua após a publicidade

Questionado se as recentes decisões do Governo Federal influenciaram na escolha do Brasil para a injeção de dinheiro, o CEO foi delicado, mas sugeriu que sim. Um dos motivos seria a volta gradual dos impostos para carros elétricos, que tornou estratégico preparar a planta de São José dos Pinhais (PR) para essa tecnologia, daí também exportando-a para outros países.

Motor Renault 1.3 TCe
O conhecido 1.3 TCe que equipa o Duster e a picape Oroch também será usado nesse novo SUV, a diferença é que sua produção será nacional (Divulgação/Renault)

“Somos apaixonados pela competição, mas desde que ela seja justa”, afirmou, fazendo referência direta à Reforma Tributária que estendeu isenções que beneficiam Stellantis e BYD, principalmente. “Mas aí cabe ao Ricardo Gondo lidar com isso”, completou o executivo, jogando a batata quente para o CEO da sucursal brasileira.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Os automóveis estão mudando.
O tempo todo.

Acompanhe por QUATRO RODAS.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.