Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Porsche 911 ganha visual off-road com pneus cravejados e rack de teto

Veículo foi modificado por empresa especializada em modelos para uso fora de estrada. Inspiração veio dos Porsche de rali da década de 1980

Por Renan Bandeira 28 abr 2020, 15h14
Suspensão alta e novo conjunto de roda-pneu chamam atenção H&R Offroad/Reprodução

Quando imaginou que veria um clássico Porsche 911 com rack de teto, suspensão alta e pneus cravejados? Se a resposta foi “nunca”, você está completamente equivocado.

Um colecionador alemão se inspirou nos Porsche 953 do rali Paris-Dakar da década de 1980 e modificou drasticamente seu clássico 911 de 1986.

Porsche 953 que corriam o rali Paris-Dakar na década de 1980 Internet/Reprodução

A mudança não aconteceu só visualmente: o veículo agora carrega o nome Syberia RS na frente e traseira – além da assinatura Porsche.

De início, é visível que o 911 ganhou suspensões altas. Elas foram feitas sob medida pela empresa alemã H&R – especializada em veículos off-road.

O conjunto ainda conta com amortecedores ajustáveis e molas especiais.

Traseira ganhou nova assinatura: Syberia RS H&R Offroad/Reprodução

As rodas clássicas foram mantidas, mas os pneus cravejados são totalmente diferentes do que se espera para um Porsche.

Para o conjunto roda-pneu caber na caixa de roda, os pára-lamas foram alargados.

A estrutura do Porsche foi toda modificada para suportar saltos e outros impactos, comuns em competições de rali de velocidade.

Embora tenha mantido detalhes do 911, pára-choque agora é todo perfurado H&R Offroad/Reprodução

O balanço dianteiro do veículo ganhou faróis auxiliares no capô, pára-choque perfurado e cabo de força para casos de atolamento.

A traseira manteve o nome Porsche, mas ganhou uma nova assinatura “Syberia RS” e ganchos para reboque. O característico aerofólio foi mantido e o 911 ainda recebeu rack de teto.

Continua após a publicidade
Os bancos Recaro são de competição e têm acabamento em couro H&R Offroad/Reprodução

O interior manteve apenas o painel original do 911. Os bancos foram substituídos por esportivos da Recaro e o volante é um Momo de competição.

Além disso, o veículo foi equipado com alavanca de câmbio alongada e santantônio. Ele perdeu os bancos traseiros para alívio de peso – solução comum em carros de competição.

Volante Momo de três astes é clássico entre competidores H&R Offroad/Reprodução

Não há especificações técnicas sobre o veículo após as mudanças.

No entanto, caso tenha mantido o propulsor original, o Syberia RS é equipado com um motor seis-cilindros refrigerado a ar de 3,2 litros que gera 218 cv e 27 kgfm de torque com câmbio manual de cinco marchas.

Os Porsche da década de 1980 têm se tornado ainda mais populares. A transformação do 911 para o Syberia RS é um tanto discutível, no entanto, existem empresas especializadas em atualizar o modelo para os dias de hoje.

Exemplo disso é a Singer Vehicle Design, uma empresa norte-americana especializada em modificações de Porsche 911 e 964 Targa.

Atualização modifica também suspensão e conjunto roda-pneu Singer Vehicle Design/Reprodução

A Singer mantém as características dos modelos, mas troca parte da carroceria por painéis de fibra de carbono para redução de peso.

Além disso, deixa empresas como Cosworth, Williams e Ed Pink retrabalharem os antigos motores para ter um ganho significativo de potência.

  • Os modelos que passam pelas mãos da Singer geralmente são destinados para corridas, e seus preços variam entre US$ 475.000 e US$ 1,8 milhão (cerca R$ 2,6 milhões e R$ 10 milhões).

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da edição de maio da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Fernando Pires/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade