Por que o Chevrolet Onix vende tanto?

Compacto será líder de vendas pelo terceiro ano consecutivo. Listamos possíveis razões para tanto sucesso

Retrovisores e teto são pintados de preto

Projeto GEM deve dar origem ao sucessor do Onix – e mais oito modelos (Leo Sposito/Quatro Rodas)

O Chevrolet Onix é um fenômeno. O compacto fabricado em Gravataí (RS) teminará 2017 como o carro mais vendido do Brasil pelo terceiro ano seguido.

Em novembro, foram 18.611 emplacamentos: seu melhor mês desde o lançamento, em outubro de 2012.

Ainda foi o único carro que conseguiu superar a marca de 100.000 unidades emplacadas entre janeiro e novembro. E por muito: foram 171.148 unidades no acumulado, contra as 96.769 do Hyundai HB20, o segundo colocado.

Tudo isso, mesmo após ter sido reprovado nos testes de colisão do Latin NCAP.

Onix recebeu nota zero do Latin NCAP (divulgação/Internet)

Mas o que será que fez o Onix desbancar modelos consagrados, como Volkswagen Gol e Fiat Palio, e permanecer no posto mais desejado da indústria automotiva? Tentaremos descobrir.

Nem bom, nem ruim

Destaque para as rodas aro 15 na cor cinza

Apesar do visual incrementado, o Onix Effect não tem desempenho além do aceitável (Leo Sposito/Quatro Rodas)

Mesmo com cinco anos de lançado, o projeto do Onix ainda se mostra atual. O design, atualizado em 2016, é atual, o acabamento é correto e o espaço interno é razoável. A suspensão é bem acertada e transmite robustez característica dos Chevrolet. Mas não dá para dizer que o Onix é o melhor de seu segmento nestes aspectos.

Posição de dirigir

banco do chevrolet Onix

Mesmo na regulagem mais baixa o banco do motorista fica alto (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O Onix não é um carro alto, mas dá essa impressão a quem senta nos bancos da frente. Os bancos dianteiros são altos – mesmo na regulagem mínima – e o painel é baixo e recuado.

É algo que, quase de forma subliminar, dá sensação de poder e ajuda a preservar o espaço para as pernas de quem vai no banco de trás. Só é ruim para os mais altos: o espelho interno fica na linha de visão e dificulta a visibilidade de placas e semáforos.

O hatch se beneficia por compartilhar a plataforma com a GSV (Spin, Cobalt, Prisma e do falecido Sonic), o que lhe dá uma vantagem de construção.

Nem muito, nem tão pouco

O motor 1.4 conta com até 106 cv

O motor 1.4 rende até 106 cv – 1 cv a mais que o Up! 1.0 TSI (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Os motores 1.0 8V de 80 cv e 1.4 8V de 106 cv do Onix não são novos, mas receberam atualizações junto da reestilização. Não têm os melhores números de potência e torque, mas entregam desempenho honesto, bons números de consumo e têm boa fama nas oficinas.

De acordo com os testes da QUATRO RODAS, o motor 1-litro fez 10,6 km/l na cidade e 15,4 km/l na estrada, e precisou de 14,6 s para chegar aos 100 km/h. O 1.4 marcou 11 e 14,2 km/l nos mesmos regimes e abastecido com gasolina. Seu tempo de 0 a 1oo km/h foi de 12 s. 

Bons câmbios

Alavanca do câmbio do Chevrolet Onix seis marchas

Chevrolet Onix têm câmbio manual de seis marchas com os motores 1.0 e 1.4 (Divulgação/Chevrolet)

No primeiro semestre, as versões 1.0 do Onix responderam por 60% nas vendas. Destes, 56,3% eram da versão Joy, que mantém o visual antigo do Onix. Se o Onix não tem motor três cilindros, é o único 1.0 com câmbio manual de seis marchas e a marcha extra alivia o motor em regime rodoviário.

Entre as vendas do 1.4, 38% tinham câmbio automático, um número considerável para um compacto. Talvez o segredo esteja no próprio câmbio. É um automático de seis marchas, não quatro como o Toyota Etios, nem automatizado como nos Fiat Argo Drive 1.3, VW Gol Comfortline 1.6 I-Motion ou Renault Sandero Easy´R. Só Hyundai HB20 1.6, Citroën C3 e Peugeot 208 têm câmbio semelhante.

É conectado

Fácil de operar, a central multimídia MyLink traz Apple CarPlay e Android Auto

Fácil de operar, a central multimídia MyLink traz Apple CarPlay e Android Auto (Leo Sposito/Quatro Rodas)

A central MyLink também tem culpa. Disponível desde o lançamento do Onix, ela democratizou as centrais multimídia entre os compactos. No início não tinha funções muito avançadas, mas hoje é compatível com Apple Carplay e Android Auto.

Hoje o MyLink é mais comum nas versões do hatch do que o computador de bordo. Apenas quem levar para casa as versões LTZ e Activ terá informação de consumo no quadro de instrumentos, mas o MyLink é opcional de R$ 1.400 na versão LT 1.0 e de série nas LT 1.4, LTZ, Activ e Effect.

Amigo do bolso

Chevrolet Onix LTZ 1.4 Eco

Onix é o compacto com melhor valor de revenda (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Na edição especial Melhor Compra deste ano, o Chevrolet Onix teve o segundo menor índice de desvalorização entre todos os modelos avaliados. Seus 8,3% de depreciação no primeiro ano só são superados pelos 4,5% do Honda HR-V EX.

Em outras palavras, hoje qualquer outro concorrente direto do Onix perde mais valor no primeiro ano de uso. E se tem uma coisa que o brasileiro detesta é perder dinheiro na hora de vender o carro, principalmente em um momento de crise.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Gabriel Medeiros

    Meu Deus, compararam a potência do motor com o UP TSI… Parei de ler ali.

  2. Sou mais meu Sandero SCE que ganhou 3 estrelas no teste de impacto, é mais econômico, tem computador de bordo na versão expression e na prática mais barato. consegui no Expression 17/17 $39k.

  3. Waldomiro Vieira

    Brasileiro é cordial e bobo.

  4. Telmo Ryoiti

    Se esqueceram de duas coisas. A marca Chevrolet tem uma forte presença no interior do Brasil e a rede de concessionadas da marca é enorme. Esses fatores explicam bem o sucesso do Ônix e outros Chevrolet. Tem regiões do interior paulista onde costumam ter até três concessionarias Chevrolet e nenhuma das outras marcas. Mesmo aqui em São Paulo, capital, pipocam concessionárias Chevrolet. E isso se repete pelo Brasil inteiro. E onde eu moro, que é Franco da Rocha, grande SP, tem uma representante Chevrolet. Se eu fosse morador de uma região onde só tivesse concessionária Chevrolet, com certeza optaria pelo Ônix ou a sua versão sedã Prisma

  5. Ricardo Ferreira

    Sandero 3 estrelas? quando? kkkk dê uma olhadinha no Latin’Cap.

  6. Ricardo Ferreira

    Compacto competente da GM, tem suas falhas, mas é uma ótima opção entre os compactos. Tem dois em casa, minha esposa (1.4 aut) e meu filho (Joy). Ambos bons de dirigir, ergonomia, suspensão, consumo, design, tudo certo, e não quebra. E tem outra, o câmbio é ótimo, tanto no manual quanto automático, e o My Link também se destaca. Só não podemos esquecer de julgá-lo sempre como o que é: um compacto de entrada.

  7. marco almeida

    gente, vão sair do mundo de contos de fadas: as locadoras são o maior público desde ônix para atender a demanda por aplicativos.
    o mesmo acontecia com o celta ( lembram que era o terceiro carro mais vendido e ninguém conhecia alguém que tivesse comprado um celta).
    fato é que a locadora comprla o onix e os alugam para UBER e 99.