Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

”Plataforma premium” da Daimler pode servir a modelos Renault-Nissan

Base seria aproveitada em carros mais baratos

Por Vitor Matsubara Atualizado em 9 nov 2016, 12h44 - Publicado em 25 set 2013, 10h24
fabricantes

A aliança Renault-Nissan estuda utilizar a nova plataforma de carros compactos do Infiniti Q30 em modelos que não pertençam ao segmento premium. A possibilidade estaria sendo analisada pelos CEOs da Renault-Nissan, Carlos Ghosn, e da Daimler, Dieter Zetsche. A empresa franco-nipônica tem um acordo de cooperação de tecnologias firmado com os alemães.

“Quando desenvolvemos uma plataforma, não o fazemos pensando em apenas uma marca. As plataformas pertencem às empresas como um todo. O aproveitamento do investimento realizado não depende tanto da plataforma em si, mas sim das especificações dos carros que vão compartilhá-la”, declarou Ghosn à agência de notícias Automotive News Europe.

Atualmente, a plataforma MFA – desenvolvida pela Daimler – é utilizada pelos modelos Classe A, Classe B, CLA e GLA. Ela também servirá ao futuro Infiniti Q30, o primeiro veículo compacto premium da marca japonesa. O Q30 será fabricado a partir de maio de 2015 na planta da Nissan em Sunderland, na Inglaterra.

Além deste projeto, Renault-Nissan e Daimler trabalham em uma plataforma de tração traseira, que será compartilhada entre a nova geração do Twingo e um modelo da smart para quatro passageiros. Ambos serão fabricados na planta da Renault em Novo Mesto, na Eslovênia. Apesar das parcerias, Ghosn se negou a confirmar se a Daimler pode construir automóveis na planta da Nissan em Aguascalientes, no México. Rumores indicam que o Mercedes-Benz GLA e o Infiniti Q30 podem compartilhar a linha de montagem latina ainda a partir de 2014.

Continua após a publicidade

Publicidade