Clique e assine por apenas 8,90/mês

Peugeot Landtrek: picape rival da Hilux leva até 6 e tem painel de luxo

Fim (de parte) do mistério. Picape média da marca francesa tem imagens reveladas, mas data de lançamento no Brasil, motorização e versões seguem indefinidas

Por Péricles Malheiros - Atualizado em 20 fev 2020, 10h55 - Publicado em 20 fev 2020, 10h42
Nova picape média da Peugeot tem lançamento comercial no Brasil previsto para ocorrer até 2022 Divulgação/Peugeot

Desenvolvida em parceria com a gigante chinesa Changan, a Peugeot Landtrek finalmente é revelada pela marca francesa. Com previsão de lançamento comercial no Brasil até 2022, a picape virá para brigar num segmento onde Ford Ranger, Chevrolet S10, Toyota Hilux e Mitsubishi L200 brilham sem serem incomodadas por um novo nome há muitos anos.

Especificamente para o mercado brasileiro ainda pouco se sabe. O mais provável é que, por aqui, ela estreie apenas com motor a diesel – a flex viria num segundo momento, dependendo da receptividade. O enxugamento do catálogo visa aumentar a competitividade do modelo.

Capacidade de carga da Landtrek será superior a 1 tonelada, de acordo com a marca Divulgação/Peugeot

“Ao menos num primeiro momento, o plano é chegar com duas ou três versões de acabamento, uma única opção de combustível (diesel) e apenas com carroceria com cabine dupla”, diz uma fonte ligada à marca. Oficialmente, a Peugeot não deu qualquer informação sobre catálogo de versões e motorização.

“Ainda não há nada definido. Data, versões, motorizações e até o local de produção da picape que virá para o Brasil são informações que ainda não estão acertadas”, respondeu a Peugeot.

Continua após a publicidade

Mas o primeiro material de divulgação traz algumas pistas do que vem por aí. Nele, a marca fala em “5,33 metros de comprimento e 1,92 m de largura, com uma capacidade superior a 1 tonelada”. Ou seja, praticamente confirma a motorização turbodiesel.

Versões mais completas contarão com sistema de visão externa com câmeras 360º para detecção de obstáculos Divulgação/Peugeot

A vida a bordo tende a ser outra prioridade da Landtrek, de acordo com a apresentação inicial. Fala-se em multimídia flutuante com tela tátil de 10 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay e disco rígido para armazenamento de mídia, multicâmeras para visualização 360 graus e banco traseiro rebatível com suporte de até 100 kg.

Sistema eletrônico de auxílio de descida, seis airbags e assistente de reboque que trabalha em conjunto com o ESP para detecção de movimentos pendulares também estarão na versão completa.

Em configurações cabine simples e dupla, a Landtrek permite até uma configuração com fileira dianteira de três assentos, totalizando seis lugares. O painel traz vários detalhes cromados, grande quadro de instrumentos digital, manopla de câmbio estilo manche, como num veículo de proposta mais luxuosa. A produção deve ocorrer na Argentina ou no Uruguai.

Continua após a publicidade
Picape média da Peugeot foi desenvolvida em parceria com a fabricante chinesa Changan Divulgação/Peugeot

A história da Peugeot antecipa pontos fortes e fracos para o futuro da picape Landtrek.

No lado positivo está a lembrança da Pick-Up 504, importada da Argentina no início dos anos 90. A fama de pau pra toda obra pode ajudar a pavimentar um bom caminho para a Landtrek. Outro ponto a favor: a marca francesa tem motores diesel premiados pela alta eficiência.

Agora, o que joga contra. Picapeiros do Brasil são tradicionalmente preocupados com a rede de assistência, sobretudo em três questões principais: porte e capilaridade, custo e disponibilidade de peças e qualidade da mão de obra.

Ou seja, justamente os pontos em que a marca tem concentrado esforços junto à rede para melhorar a percepção do consumidor. Então, que venha a nova picape Peugeot Landtrek!

Publicidade