O que dizem as primeiras avaliações do Bugatti Chiron?

Esportivo custa o equivalente a R$ 8,2 milhões e já foi dirigido pela imprensa britânica

Bugatti Chiron Bugatti Chiron reinterpreta o Veyron com traços futuristas

Bugatti Chiron reinterpreta o Veyron com traços futuristas (Divulgação/Bugatti)

Dizem as más línguas que os Bugatti são os carros franceses mais respeitados do mundo. O Chiron, mais novo carro da marca, já passou pelo crivo da imprensa britânica. Será que ele é capaz de sustentar a boa herança deixada pelo Veyron?

Richard Meaden, da Evo Magazine, matou uma charada ao explicar as diferenças entre o motor W16 8.0 e o usado pelo Veyron. São 1.500 cv e ‎163,2 mkgf de torque entre 2.000 rpm e 6.000 rpm – 300 cv e 10,2 mkgf a mais –  que só foram alcançados porque a grande maioria dos componentes internos são novos, até o virabrequim.

Além disso, os quatro novos turbocompressores são maiores, o que só não aumenta o turbo-lag (atraso da resposta do turbo) pois apenas duas trabalham até os 3.800 rpm – só depois a outra dupla entra em ação. 

Bugatti Chiron Destaque da traseira, a lanterna parece flutuar

Destaque da traseira, a lanterna parece flutuar (Divulgação/Bugatti)

O câmbio de dupla embreagem da Ricardo mantém as sete marchas, mas os discos de embreagem são mais pesados e as engrenagens são mais leves para o Chiron.

O resultado, de acordo com a mesma publicação, é de empalidecer o Veyron. O Chiron tem comportamento mais explosivo e deixa o motorista mais conectado à máquina. A percepção de ter doses monstruosas de potência e torque disponíveis é maior, mas sem perder o jeitão de carro pesado. Mesmo assim, a sensação é perturbadora para o motorista.

Bugatti Chiron Quadro de instrumentos marca até os 500 km/h

Quadro de instrumentos marca até os 500 km/h (Divulgação/Bugatti)

Matt Prior, da Autocar, pontua que o Chiron leva a aceleração a um outro nível. Há um pequeno atraso entre o momento que o acelerador é pressionado e a força jogando o corpo contra o banco. A partir daí, o motor passa a rugir cada vez mais forte e a paisagem se transforma em borrão. Diz ele que o ronco do motor não tem alma, mas também não é desagradável (então tá!).

Prior olha para o Chiron como um carro normal e garante que dirigir ele é quase tão fácil quanto dirigir um Golf, no sentido da facilidade para se adaptar ao carro, entender seus botões e se ajustar na posição de dirigir. O espaço para os dois passageiros é bom, mas a visibilidade seria mediana.

Bugatti Chiron Esse é o porta-mala do Chiron. Afinal, só cabe uma mala…

Esse é o porta-mala do Chiron. Afinal, só cabe uma mala… (Divulgação/Bugatti)

Os modos de condução do Chiron mostram que ele não é exatamente um carro normal. Há três opções: o EB padrão, Highway (para estrada) e Handling (para pistas ou uma tocada mais forte). Se nos dois primeiros ele é confortável e suave como se espera de um carro com acabamento tão refinado, o modo Handling mostra como o Chiron pode ser bruto.

Nessa opção, mudam as respostas do acelerador, dos amortecedores adaptativos e o peso da direção. Prior diz que o volante chega a ficar excessivamente pesado, além de só retornar sozinho em manobras para a direita. Por outro lado, ele garante que o Chiron é bem controlável e bom de pilotar: estaria mais para um Porsche 911 GT3 do que para uma Ferrari 488 GTB.

Bugatti Chiron Freios são carbocerâmicos e há um auxílio da asa traseira, que também funciona como freio aerodinâmico

Freios são carbocerâmicos e há um auxílio da asa traseira, que também funciona como freio aerodinâmico (Divulgação/Bugatti)

Ambos os jornalistas fazem ressalvas com relação ao conforto da suspensão e antecipam que ela só será confortável em lugares com boas estradas. Para eles, o Chiron não seria nada confortável nas rodovias belgas. Imagine no Brasil…

Obviamente, o que realmente impressiona são os números de desempenho. O zero a 100 km/h se dá em 2,5 s, praticamente em primeira marcha. Os 200 km/h são alcançados em 6,5 s e os 300 km/h, em 13,6 s. Os pneus desenvolvidos pela Michelin só aguentam até os 418 km/h.

Caso o proprietário consiga um lugar para acelerar seu Chiron com tudo, basta usar uma segunda chave para ativar o modo que permite chegar aos 420 km/h – no Handling, a velocidade não ultrapassa os 380 km/h, embora exista a possibilidade de programar este limitador. A limitação de velocidade é eletrônica, mas também está ligada aos pneus. A Autocar estima que o Chiron seja capaz de passar dos 440 km/h.

Serão fabricadas 500 unidades do Bugatti Chiron, sendo que aproximadamente 250 já estão vendidos. O preço de cada um? R$ 8,2 milhões, sem impostos. Richard Maeden conta que boa parte doas abonados clientes já possuem um Veyron e alguns encomendaram duas unidades: uma para o início da produção e outra para o final, quando, se repetirem a estratégia do Veyron, surgirão séries especiais únicas.

Bugatti Chiron Placas sobre o motor lembram o qual grande ele é e também sua potência

Placas sobre o motor lembram o qual grande ele é e também sua potência (Divulgação/Bugatti)

Maeden conclui dizendo que não existe nenhum outro carro que seja capaz de alternar tanto entre o conforto e a selvageria, nem capaz de alcançá-lo em refinamento técnico. Basta dizer que sua estrutura é toda de fibra de carbono, dividida entre a parte frontal e a traseira, onde está o motor. Estes dois nichos são unidos por 10 parafusos de titânio e a rigidez é de 50,000Nm por grau, algo comparável apenas com os protótipos que correm nas 24h de LeMans.

Bugatti Chiron

 (Divulgação/Bugatti)

Maeden deu cinco estrelas para o Chiron, enquanto Prior não deu mais que quatro. O repórter da Autocar diz que criar um carro capaz de passar dos 400 km/h mantendo o conforto, o interior refinado e, principalmente, sua agilidade, é algo bastante ousado e que aumenta o nível de exigência de sua avaliação.

Para o Grupo Volkswagen a melhor notícia é que desta vez a Bugatti lhe dará algum lucro a cada carro vendido, não prejuízo, como ocorria nos tempos do Veyron.

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. O meu queixo caiu!

  2. No vídeo de aceleração, por que quando o velocímetro chega a 95kph ele cai para 67kph, como se fosse um conta giros?

  3. No vídeo da aceleração, por que quando o velocímetro atinge 95kph ele cai para 67kph, como se fosse um conta giros?

  4. Que puta carro!!!

  5. Esse soluço na velocidade me parece pneus patinando. Por mais corte de potência que ele tenha em baixa, tem torque de sobra para patinar sobre as 4.