Clique e assine por apenas 5,90/mês

Novo Jeep Wrangler fica mais leve e mantém as tradições

São quase 100 kg a menos, novas tecnologias e o melhor: as velhas e boas tradições de um Wrangler

Por Mateus Silveira - 29 nov 2017, 20h05
O novo Jeep Wrangler chega às lojas nos EUA em janeiro de 2018 Divulgação/Jeep

A espera pelo Jeep Wrangler 2018 acabou. Após anos no aguardo, especulações e até vazamento do manual na internet, o jipão foi apresentado no Salão de Los Angeles, Estados Unidos.

A Jeep tinha uma missão na atualização do Wrangler: apresentar uma nova geração sem mudanças drásticas e que agradasse os fãs do icônico veículo. E conseguiu.

Versão Rubicon é a mais off-road do Wrangler Divulgação/Jeep
Modelo 4 portas do mais tradicional dos Jeep Divulgação/Jeep

Uma nova estrutura com aços de maior resistência e painéis de alumínio na carroceria, diminuíram em 91 kg o peso do Wrangler. Materiais mais leves também foram adotados no capô e nas portas.

O design exterior é inspirado nos modelos antigos do Jeep. A grade frontal foi reajustada, mas permanece, junto com os clássicos faróis redondos, para a alegria dos entusiastas. O para-choque dianteiro foi elevado.

Grade frontal e clássicos faróis redondos permanecem na nova geração Divulgação/Jeep

Com portas, vidros, para-brisa e tetos removíveis, o Wrangler estará disponível em dois modelos: com duas e quatro portas. A primeira terá as versões de acabamento: Sport, Sport S e Rubicon. Com quatro portas, tem as mesmas versões mais a Sahara. A Rubicon é a versão mais off-road do modelo.

Portas, vidros, para-brisa e teto são removíveis no Wrangler Divulgação/Jeep

Por dentro, o Wrangler recebeu novas tecnologias e o espaço interno ganhou mais conforto e funcionalidade. A central ficou mais larga e as saídas de ar agora estão no topo do painel, ao lado da central multimídia UConnect (com tela de 7 ou 8,4 polegadas e conexão com Android Auto e Apple CarPlay).

Continua após a publicidade

Os comandos do ar-condicionado também sobem e agora são inspirados nos do Compass, com visualização na tela sensível ao toque.

Saídas de ar foram reposicionadas na central do Wrangler Divulgação/Jeep
Jeep é oferecido com transmissão manual ou automática Divulgação/Jeep

Outras heranças dos irmãos menores estão nos seletores de faróis e nas hastes de comando atrás do volante, além do quadro de instrumentos, com a grande tela colorida ao centro nas versões mais caras, presente também no Fiat Argo HGT.

O motor turbo de 2.0 gera 268 cv e 40,8 mkgf. Além de ser acoplado a uma caixa automática, o motor conta com um sistema elétrico com uma bateria de 48V e motor de partida, em um sistema híbrido leve, que auxilia para aproveitar a energia ao desacelerar.

Na mesma foto, todas as gerações do icônico Jeep Wrangler Divulgação/Jeep

Há também um V6 3.6 que gera 285 cv e 35,9 mkgf. Futuramente, a Jeep planeja lançar um 3.0 turbodiesel. Há duas opções de transmissão: manual de seis marchas ou automática de oito. A seleção do modo de tração é feita através de uma alavanca.

Nos EUA, as vendas do Jeep Wrangler começarão em janeiro de 2018. Preços e dados de consumo ainda não foram revelados pela marca.

 

Continua após a publicidade
Publicidade