Clique e assine com até 75% de desconto

Nova Ranger obtém três estrelas em fase mais rigorosa do Latin NCAP

Modelo testado foi o argentino, menos seguro que as versões a serem vendidas no Brasil

Por Isadora Carvalho Atualizado em 9 nov 2016, 14h55 - Publicado em 14 abr 2016, 17h49
Ford Ranger - Latin NCap

Com uma nova metodologia, mais rigorosa que a anterior, o Latin NCAP divulgou hoje (dia 14 de abril) os mais recentes resultados de seus crash-tests. O modelo escolhido foi a nova Ford Ranger, recém-lançada no Brasil e na América do Sul.

De um total máximo de cinco, a picape recebeu três estrelas para a proteção do ocupante adulto e quatro estrelas em relação à proteção de crianças. Segundo o Latin NCap, a picape foi submetida a testes de impacto frontal e lateral. A nota apenas razoável para adultos, no entanto, tem uma explicação que serve de alívio para os brasileiros: enquanto o modelo testado pelo Latin NCAP (feito para o mercado argentino) possui apenas três airbags e não conta com controle eletrônico de tração, no Brasil todas as versões da Ranger serão vendidas com sete airbags e controle de estabilidade de série.

 

Para as crianças, a nova Ranger agora dispõe de ancoragens ISOFIX, cintos de três pontos em todos os assentos e a possibilidade de desativar o airbag quando instalado um sistema de retenção infantil olhando para trás no banco do acompanhante dianteiro. .

Leia mais:

>> Ford divulga lista completa de preços da nova Ranger

>> Nova Chevrolet S10 será lançada no Brasil em abril

Continua após a publicidade

>> Hilux obtêm nota máxima no Latin NCap

Novo critério de avaliação 

Desde 1º de janeiro de 2016  o teste do Latin NCAP ficou mais rigoroso. O controle eletrônico de estabilidade (ESP) agora é um requisito para que sejam concedidas as maiores notas ao veículo testado. 

Para a avaliação de proteção infantil, o teste de comportamento dinâmico abrange o impacto “overlap” (frontal, com 40% da largura do carro atingindo o obstáculo), a 64 km/h, e o impacto lateral, no qual o modelo é atingido por uma estrutura que simula um carro de verdade, movimentando-se a 50 km/h. Também são avaliados o sistema de transporte infantil (fixação de cadeirinhas e bebê-conforto) e o nível de equipamentos de segurança para passageiros (airbags, alerta de afivelamento de cintos de segurança, etc).

latin-ncap-1.jpeg

No caso da avaliação de proteção de adultos, os testes de impacto overlap e de impacto lateral também passam a ser utilizados. A diferença é a presença de um teste de poste, com impacto lateral a 30 km/h que empurra o veículo avaliado contra um obstáculo de 2,54 metros de comprimento. 

latin-ncap-2.jpeg

Com essas mudanças, uma avaliação cinco estrelas agora demanda as seguintes condições: que o veículo tenha obtido ao menos 27 dos 32 pontos possíveis nos testes, controle eletrônico de estabilidade e aprovação no teste de poste. Além disso, tecnologias mais avançadas, como sistema de proteção a pedestre e frenagem automática de emergência serão premiadas à parte. 

latin-ncap-3.jpeg

Para a realização e a conclusão satisfatórias dos testes, o Latin NCAP estima que sejam necessários entre 300 e 350 mil euros – os veículos são sempre adquiridos, não fornecidos pelas montadoras. A entidade também destacou que, nos próximos anos, a região latino-americana estará num patamar de segurança bem próximo ao da Europa, com a obrigatoriedade da adoção do controle de estabilidade para todos os carros 0km na Argentina e, possivelmente, no Brasil a partir de 2018.

Continua após a publicidade
Publicidade