Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Nissan renova parceria para ter carros elétricos “recarregados” com etanol

Montadora e o instituto brasileiro desenvolvem juntos uma célula de combustível que utiliza etanol para produzir energia elétrica

Por João Vitor Ferreira Atualizado em 18 jun 2021, 12h21 - Publicado em 17 jun 2021, 13h05

Tecnologia SOFC utiliza etanol para gerar energia elétrica

A Nissan e o Instituto de Energia e Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN) anunciaram a renovação de sua parceria. Juntos, eles buscam desenvolver uma nova tecnologia que usa etanol para gerar energia elétrica para mover os veículos.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Nissan e IPEN começaram a trabalhar juntos no projeto da SOFC (sigla em inglês para Célula de Combustível de Óxido Sólido) em 2019. Agora, nesta nova etapa, um dos principais objetivos é diminuir o tamanho do sistema e aprimorar o seu funcionamento. 

Essa parceria está inserida no conceito da Nissan Intelligent Mobility, visão da marca para transformar a maneira como os carros são conduzidos, impulsionados e integrados na sociedade.

O SOFC utiliza etanol 100% (puro) ou diluído em concentração de até 45%. Através de uma reação química entre o combustível, que é transformado em hidrogênio na célula, e o íon oxigênio, o sistema consegue gerar eletricidade para carregar as baterias que alimentam o motor elétrico.

ilustração do funcionamento do SOFC
A grande produção de etanol e a infraestrutura que já existe no Brasil, segundo a Nissan, fazem com que o SOFC seja mais viável do que as células de combustível de hidrogênio Divulgação/Nissan

Ao final do processo, o veículo elimina água e uma pequena quantidade de CO2. Segundo a empresa, o gás carbônico produzido faz parte de um sistema neutro, já que o mesmo seria absorvido pela cana-de-açúcar utilizada na produção do etanol.

A Nissan escolheu o Brasil para testar essa tecnologia justamente pela alta produção de etanol do país e pela infraestrutura de postos que oferecem o combustível.

Continua após a publicidade

sistema do que mostra o ciclo do carbono emitido pelo SOFC
A empresa acredita que a baixa emissão de CO2 do SOFC não seja um problema em países com leis ambientais mais rígidas, visto que toda a sua cadeia de produção garante um ciclo neutro em carbono. Divulgação/Nissan

“Seguimos avançando com as pesquisas e esse novo acordo representa um novo passo do projeto global de Célula de Combustível de Óxido Sólido da Nissan, que também é muito interessante para o Brasil, por se encaixar perfeitamente na nossa matriz energética”, disse Airton Cousseau, presidente da Nissan Mercosul e diretor geral da Nissan do Brasil.

“Pelo conhecimento técnico das instituições brasileiras, como o IPEN, as parcerias locais são fundamentais para contribuir com a iniciativa global da marca”, completou o executivo.

Mesmo com a tendência de alguns países, como a Noruega, de substituir os postos convencionais de combustíveis por pontos de carregamento de energia elétrica, a montadora se mantém confiante que sua nova tecnologia não ficará ultrapassada em pouco tempo.

nissan SOFC visão traseira
DIvulgação/Nissan

“A gente sabe que a eletrificação está muito forte. Dependendo do país, ela vai direto para a inclusão das baterias, mas outros ainda vão manter o ‘combustível líquido’, como a gasolina para tecnologia híbrida, a mais tradicional célula de hidrogênio e agora o SOFC. Então, no mundo, terão várias alternativas para suprir essa necessidade e acreditamos que o SOFC seja uma delas”, explica Ricardo Abe, gerente de engenharia de produtos da Nissan.

Mesmo antes da parceria com o IPEN, a montadora japonesa já estava com o projeto da sua célula de combustível bem avançado. Entre 2016 e 2017, dois veículos e-NV200 equipados com o sistema SOFC foram testados pela equipe de Pesquisa e Desenvolvimento da Nissan do Brasil.

Segundo os testes, a empresa garante que o Nissan SOFC tem uma autonomia de 600 km para 30 litros de combustível. Além disso, o veículo também será silencioso e com bom desempenho, assim como os elétricos convencionais que utilizam baterias.

Atualmente, a Nissan já tem um carro com emissão zero entre os modelos elétricos, o Nissan LEAF, que já superou a marca de mais de 500 mil unidades comercializadas globalmente. No Brasil, o LEAF atualmente é o quarto veículo totalmente elétrico com maior frota, totalizando 205 veículos, segundo dados coletados pela NeoCharge.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital

Capa Quatro Rodas 745 maio 2021
Arte/Quatro Rodas
Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

Impressa + Digital

Plano completo de QUATRO RODAS. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.


a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)