Mercado: do auge ao esquecimento

Eles fizeram (muito) sucesso e foram líderes de seus segmentos, mas a fama passou...

Do auge ao esquecimento Do auge ao esquecimento

Do auge ao esquecimento (/)

As grandes estrelas da TV e do cinema sabem, como ninguém, que a fama pode ser passageira. No mundo dos carros não é muito diferente: alguns chegam com tudo, viram líderes de seus segmentos e, de uma hora para outra, caem no esquecimento.

Entre os principais exemplos estão os modelos sul-coreanos. Lançada no Brasil em 2009, a primeira geração do Hyundai i30 atingiu seu ápice um ano depois, com 35.930 unidades emplacadas, o que o fez conquistar a liderança de um segmento que tinha pesos-pesados como VW Golf e  Ford Focus.

Seu declínio, porém, começou em 2012, com a segunda geração. Entre os problemas, o preço alto e o visual parecido demais com o irmão  menor HB20, de quem também herdava o motor 1.6, fraco demais para um hatch médio. Em 2014, ele adotou um 1.8, mas era tarde. Em 2015, o i30 emplacou 2.617 exemplares, ficando em último lugar da categoria.

O esquecimento também afetou outro Hyundai, o sedã grande Azera, que um dia chegou a custar menos de R$ 70.000 e vender 8.412 unidades em 2011. Em 2015, foram 866, números distantes do passado, mas ainda respeitáveis para um carro tabelado em salgados R$ 167.990.

Caso mais gritante é o Kia Soul. Caiu de 17.926 carros em 2011 para pífios 508 em 2015. Pudera: quando chegou ao país, ele partia de R$ 51.490. Hoje, mesmo sem grandes atualizações, não sai por menos de R$ 89.990 com o mesmo 1.6 de 128 cv do primo HB20. Contribuiu também para o insucesso atual o programa Inovar Auto, que sobretaxou e determinou cotas de importação para marcas que não possuem fábrica no país. como a Kia.

Por fim, há o Che­vrolet Captiva, que estreou em 2008 e conquistou o quarto lugar do ranking de SUVs em 2009, com 13.584 unidades. Sem mudanças significativas desde então, amargou o 34º lugar do segmento mais disputado do momento, com 1.217 unidades. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s