Clique e assine com até 75% de desconto

Longa Duração: Outlander tem aditivo de R$ 117 na revisão de 50.000 km

Outlander passa pela revisão de 50.000 km e revela os descuidos no serviço de concessionária do Rio de Janeiro

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 3 nov 2020, 08h32 - Publicado em 3 nov 2020, 08h30
Outlander diesel foi entregue com frasco de aditivo para gasolina Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

A regra é clara: todo carro de Longa passa por, pelo menos, uma revisão fora de São Paulo. Para o último serviço programado, levamos nosso Outlander ao Rio de Janeiro.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine por apenas R$ 8.90

Agendamos o serviço na concessionária Raion da Barra da Tijuca com dois dias de antecedência. Foram eles que notaram que a Naya, de São Bernardo do Campo (SP), não lançou no sistema da Mitsubishi a revisão dos 40.000 km, mesmo tendo carimbado o livreto do carro.

  • Ao receber o carro, o consultor condenou os pneus com um cartão com índice de desgaste menos otimista: “Ainda não chegou no TWI, mas está perto”. Pelo acompanhamento dos pneus que fazemos a cada revisão, eles duram até os 60.000 km.

     

    Continua após a publicidade
    Peças da suspensão e do freio traseiro ficaram lambuzadas após lubrificação Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

    Também não concordamos com (caros) serviços adicionais como limpeza de motor, lavagem e polimento. Ainda assim, foi apresentado um valor acima de R$ 1.400, mas o consultor disse que faria pelos R$ 1.221 (conforme o site do fabricante), pois o estoque de peças ainda era antigo. Balanceamento, alinhamento e rodízio custaram mais R$ 280.

    Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

    Horas depois, o funcionário retornou dizendo que não poderia devolver o carro no mesmo dia, como combinado, por conta da fila no alinhamento. Explicamos que teríamos que seguir viagem e ele se comprometeu a devolver no fim da tarde.

    O carro foi entregue ligado, com vidros fechados e ar-condicionado funcionando, sem nenhuma menção à higienização ou a qualquer cuidado em relação à Covid-19. Depois, ainda notamos que o frasco de aditivo STP (que representa, pasmem, R$ 117 no preço da revisão) devolvido com o carro era para motor a gasolina, não diesel.

    Contatamos o consultor, que minimizou dizendo que o técnico pode ter confundido com o material usado em um Outlander a gasolina da mesma cor que estava na oficina, pois o aditivo para motores diesel tem frasco azul e tampa vermelha.

    Filtro de cabine foi instalado ao contrário Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

    De volta a São Paulo, o mecânico Fábio Fukuda pegou outras derrapadas: “Erraram o rodízio novamente, não passaram os pneus de trás para a frente cruzando, ainda instalaram o filtro do ar-condicionado ao contrário e sujaram toda a suspensão traseira ao lubrificar”, afirmou.

    Mitsubishi Outlander – 50.228 km

    Ficha técnica:
    Versão: 2.2 Turbodiesel HPE-S
    Motor: 4 cilindros, dianteiro, transversal, 16V, 165 cv a 3.500 rpm, 36,7 mkgf a 7.500 rpm
    Câmbio: Automático de 6 marchas, tração 4×4
    Seguro: R$ 3.750 (Perfil Quatro Rodas)
    Revisões: Até 60.000 km – R$ 8.404
    Gasto no mês: Combustível: R$ 1.332
    Revisão: R$ 1.221
    Alinhamento: R$ 280
    Consumo: No mês: 12,3 km/l com 25,6% de rodagem na cidade
    Desde set/19: 12,2 km/l com 28,3% de rodagem na cidade
    Combustível: Diesel S10

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Continua após a publicidade
    Publicidade