Clique e assine por apenas 5,90/mês

Jeep Grand Wagoneer tem plataforma da picape RAM e chega em 2022

SUV de grande porte chega em 2022 como o mais luxuoso da marca, terá motorização híbrida e "somente" quatro centrais multimídia

Por Daniel Telles - Atualizado em 3 set 2020, 16h34 - Publicado em 3 set 2020, 16h29
Modelo chega em 2022 como o mais luxuoso da marca Divulgação/Jeep

O Jeep Wagoneer nasceu em 1963 para ser o SUV topo de linha da marca e assim seguiu até 1991, quando saiu de linha para dar lugar ao Grand Cherokee.

Mas para 2022, quando serão completados 31 anos de ausência do modelo, a Jeep decidiu resgatar o icônico nome em seu novo SUV grande: o Grand Wagoneer.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Embora as fotos mostradas sejam definidas pela própria marca como as de um protótipo, podemos adiantar que o vindouro utilitário manterá grande parte dos elementos mostrados.

Jeep Grand Wagoneer
Wagoneer foi considerado o primeiro 4×4 de luxo Acervo/Quatro Rodas

Dentre eles, a grade da dianteira que preserva o clássico desenho da marca, com sete nichos iluminados, posicionada logo abaixo do nome do carro e entre os dois faróis de leds bem estreitinhos que dão aspecto agressivo.

Traseira tem caimento reto para acomodar bem a terceira fileira Divulgação/Jeep

Passando para o balanço traseiro, o SUVão terá lanternas igualmente finas, interligadas por uma faixa horizontal – toda em led.

Sobre o conjunto mecânico, sabemos apenas que será híbrido. Mas cabe a aposta que será o mesmo sistema híbrido leve já presente na picape RAM 1500, isso porque os dois modelos dividem a mesma plataforma.

Na RAM, o sistema é responsável por transferir 12,5 kgfm extras ao motor V6 e 18 kgfm ao V8, evitando maior consumo de combustível.

Continua após a publicidade
Rodas de 24 polegadas devem estar na versão de produção Divulgação/Jeep

Voltando para o Grand Wagoneer, a Jeep promete para o modelo três sistemas de tração 4×4 e a renomada suspensão pneumática Quadra-Lift. Além disso, a marca afirma que o motorista perceberá a direção exclusiva, graças as suspensões traseira e dianteira, que serão independentes.

Avançando para o interior, tanto motorista quanto passageiros terão uma boa dose de tecnologia e entretenimento a disposição.

Teto solar panorâmico é adornado por madeira de luxo Divulgação/Jeep

Começando pela primeira fileira, que abrigará o painel 100% digital de 12,3 polegadas, central multimídia de 12,1″, além de uma tela de 10,25″ exclusiva para o passageiro carona e outra também de 10,25″ para controlar o ar-condicionado quadri-zona e outros itens.

São quatro telas somente na primeira fileira Divulgação/Jeep

À exemplo da primeira fila, a segunda contará também com uma sorte de telas, mais especificamente três de 10,1 polegadas, igualmente conectadas à internet e com o novo sistema UConnect 5 da FCA.

Na segunda fileira há mais três telas Divulgação/Jeep

Conectividade à parte, o interior será composto por materiais luxuosos, como vidros do tipo Onyx, carpetes com fibras autossustentáveis e madeiras nobres, além do sistema de som McIntosh com 23 caixas e 24 amplificadores.

Ainda é cedo para pensar em uma vinda do Wagoneer ao Brasil. Por enquanto deveremos nos contentar mesmo com a versão sete lugares do Jeep Compass, prevista para 2021. 

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da edição de maio da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade
Publicidade