Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Homem aluga Lamborghini, é pego a 120 km/h e toma prejuízo de R$ 117.000

Passeio se transforma em pesadelo quando Huracán é levado ao pátio e, detido, gera R$ 75 mil só em diárias extras

Por João Vitor Ferreira Atualizado em 20 ago 2021, 13h23 - Publicado em 20 ago 2021, 13h22
Huracán apreendida no canadá
Polícia Regional de Peel/Twitter


Alugar um Lamborghini Huracán e sair por aí se exibindo. Essa pode ser a melhor solução para quem tem certo dinheiro, mas não o suficiente para chamar um superesportivo desses de “meu”. O problema é que não importa o dono: o que se faz num Lamborghini julga-se com base em um Lamborghini.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Essa lição jamais será esquecida por um homem de 28 anos da província de Ontário, no Canadá, que alugou um Huracán para se divertir um pouco e agora deve pagar o equivalente a R$ 75.764, só em diárias extras. Conduzindo o bólido italiano alugado, ele foi flagrado pela polícia local a 122 km/h em uma via de 60 km/h. Imediatamente ele foi autuado e o veículo apreendido.

 

Azar de quem contou com a sorte e foi um dos primeiros enquadrados na recente lei antiabusos das estradas da região. Desde julho, quem excede em 40 km/h o limite de vias lentas (até 80 km/h) em Ontário sofre duras sanções, que incluem perda imediata da carteira e outras tretas legais. Antes disso, porém, o veículo é imediatamente rebocado e os órgãos legais deixam claro: não há carona até sua casa.

Não bastasse o passeio luxuoso ter acabado com a borracha dos tênis do motorista ao invés de gastar a borracha do cupê movido pelo 5.2 V10, o Huracán recebeu 14 dias de “detenção”, sem fiança — um dos pontos no qual a lei tornou-se mais dura. Obviamente o “felizardo” pagará por cada um desses dias, mesmo com o Lambo estacionado no pátio. Somados impostos, a diária do superesportivo em uma locadora da região gira em torno de R$ 6.313, o que explica o valor total.

Os policiais que fizeram a abordagem tweetaram imagens do radar e do carro sendo levado “em cana”. “Devido à taxa de apreensão de 14 dias, este aluguel agora custará a um residente de 28 anos em Londres (Canadá) C$ 18.000, uma vez que seja devolvido à locadora”, disse a corporação na mensagem.

Polícia Regional de Peel
Pelos 14 dias de apreensão no pátio da polícia, o motorista terá que pagar cerca de R$ 75.000 e, se condenado, o valor total com as multas pode ultrapassar a casa dos R$ 100.000 Polícia Regional de Peel/Twitter

Não obstante, se for condenado, o motorista pode pagar de C$ 2.000 a C$ 10.000 (entre R$ 8.420 e R$ 42.100) em multas, perder o direito de dirigir por no mínimo dois anos e também ser levado ao pátio — da prisão, e por seis meses. Como não houve feridos no evento a hipótese de prisão é improvável, mas somadas multas e diárias a brincadeira tenderá, facilmente, a passar do equivalente a R$ 117.864

Se fosse no Brasil, a infração do condutor seria considerada gravíssima, pois ele estava a uma velocidade 50% maior que o limite da via. A multa seria de R$ 808,41 mais a taxa que as locadoras cobram sobre o valor da autuação. O motorista também teria sua habilitação imediatamente apreendida. O vexame? Esse não tem preço, independentemente do Hemisfério.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

 

Edição de julho
A edição 747 de QUATRO RODAS já está nas bancas! Quatro Rodas/Quatro Rodas

 

Continua após a publicidade

Publicidade