Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Grandes Brasileiros: Escort, o carro que pôs Brasil no mapa global da Ford

Com projeto moderno e linhas inovadoras, o Escort foi nosso primeiro Ford mundial

Por Fabiano Pereira
Atualizado em 10 Maio 2019, 19h32 - Publicado em 17 jan 2018, 20h26
Ford Escort GL
Nosso primeiro Escort já era da terceira geração (Guilherme Giansanti/Quatro Rodas)

O lançamento do Escort em 1983 indicou o começo de uma nova era para a Ford.

Ele foi o primeiro carro mundial da marca fabricado no país. Antes dele, houve projetos americanos – Galaxie, Maverick e as picapes da série F -, além de um nacional herdado da Willys e da Renault, o Corcel e derivados.

O Escort representou uma injeção de modernidade na indústria, numa safra que incluiu ainda o Chevrolet Monza, o Fiat Uno e o Volkswagen Santana. Nosso primeiro Escort equivalia à terceira geração na Europa.

O Escort era o típico carro médio-compacto europeu da época, com motor transversal e tração dianteira. Seu estilo podia ser chamado de dois volumes e meio.

Continua após a publicidade

Havia um prolongamento na traseira hatch que sugeria o porta-malas destacado de um sedã de três volumes. Havia carroceria de três ou cinco portas, câmbios de quatro ou cinco marchas.

Ford Escort GL
Nem hatch, nem sedã: é um dois volumes e meio (Guilherme Giansanti/Quatro Rodas)

Após um teste com o modelo europeu, em agosto de 1983 QUATRO RODAS avaliou o Escort GL 1.6 a álcool, versão mais luxuosa que o básico L e mais simples que os Ghia e XR3.

A suspensão estava mais macia devido a nosso asfalto em geral mais irregular.

Continua após a publicidade

“Mas, andando em pisos bons e velocidades elevadas (acima das permitidas legalmente), essa suspensão se revela muito mole e o carro perde algumas das qualidades que sentimos na Europa”, o texto ponderava.

Freios, consumo, conforto e espaço interno eram pontos positivos, segundo o teste. A garantia contra corrosão era de três anos, a maior do mercado, ainda que metade da oferecida na Europa.

Ford Escort GL
Volante de dois raios facilita a leitura do painel; controles de ventilação ficam na horizontal (Guilherme Giansanti/Quatro Rodas)

A versão esportiva XR3 1984 1.6 trouxe quase 10 cv a mais que os 73 cv originais e suspensão mais rígida. Tornou-se um clássico dos anos 80.

Continua após a publicidade

Entretanto, foi a versão 1.3 básica, de 56,7 cv, que se tornou o carro nacional mais econômico testado por QUATRO RODAS em fevereiro de 1984, com 18,39 km/l na estrada, vazio.

Foi o Escort GL que o piloto Ayrton Senna avaliou num teste com diver­sos carros nacionais, publicado em março de 1984. Segundo ele, “os freios provaram que são um ponto alto da Ford”, mas “o cinto de segurança deveria travar ao menor puxão”.

Ford Escort GL
Painel era completo, mas sem conta-giros (Guilherme Giansanti/Quatro Rodas)

“É um carro gostoso de dirigir e confortável, apenas não o acho tão macio como QUATRO RODAS costumava criticar na época do lançamento”, diz o engenheiro carioca Adriano Trindade Gomes, segundo dono deste GL 1.6 a álcool 1984/1985, localizado pelo Escort Clube.

Continua após a publicidade

Em 1985 chegou o XR3 conversível, que custava quase o dobro de um Escort L. Com uma remodelação, vieram motor e suspensão recalibrados em 1987.

Em maio de 1989, a revista andava no “Escortwagen”, com motor VW 1.8 de 105 cv, fruto do casamento entre os dois fabricantes, a Autolatina. “A potência maior se revela na arrancada, em que ele até patina”, disse Luiz Bartolomais Júnior.

Logo chegaria o Verona, versão de três volumes do modelo, exclusiva do Brasil. A versão de cinco portas, fora de linha desde 1986, voltou às lojas em 1991 com o Escort Guarujá argentino.

Ford Escort GL
Item de comodidade da época: porta-cassete (Guilherme Giansanti/Quatro Rodas)

A segunda geração do Escort, quarta dos europeus, trouxe em 1993 linhas arredondadas e o fôlego do VW 2.0i de 116 cv para o XR3. O Escort antigo teve sobrevida como Hobby.

Uma remodelação em 1996 marcou a transferência da produção para a Argentina, meses antes de novo redesenho. Importado também como sedã e perua, o Escort duraria até 2003, depois de três anos de convivência com o Focus, seu substituto no mundo todo.

O Ford nacional mais importante dos anos 80 já tinha incluído o Brasil nas estratégias mais globalizadas da empresa, que duram até hoje.

Teste QUATRO RODAS – Agosto de 1983

  • Aceleração 0 a 100 km/h: 13,98 s
  • Velocidade máxima: 159,116 km/h
  • Frenagem 80 km/h a 0: 32,83 m
  • Consumo (álc.): 9,63 km/l (cidade) e 12,58/14,59 km/l (estrada, a 100 km/h, carregado/vazio)
  • Preço (julho 1983): Cr$ 5.056.283
  • Preço (atualizado IPC-A/IBGE): R$ 94.094

Ficha técnica – Ford Escort GL 1985

  • Motor: dianteiro, transversal, 4 cilindros em linha, 1.555 cm³, carburador de corpo duplo, comando de válvulas lateral, a álcool
  • Diâmetro x curso: 77 x 83,5 mm
  • Taxa de compressão: 12:1
  • Potência: 73 cv a 5.200 rpm
  • Torque: 11,6 mkgf a 3.600 rpm
  • Câmbio: manual de 5 marchas, tração dianteira
  • Carroceria: hatch, 3 ou 5 portas, conversível de 2 portas
  • Dimensões: comprimento, 397 cm; largura, 164 cm; altura, 134 cm; entre-eixos, 240 cm; peso, 860 kg
  • Suspensão: Dianteira: independente, McPherson, braços inferiores transversais, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos telescópicos e barra estabilizadora. / Traseira: independente, com braço transversal, braços de reação longitudinais, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos telescópicos
  • Freios: disco na dianteira e tambor na traseira, com servofreio
  • Rodas e pneus: aço, 13 x 5, pneus 165 SR13
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Os automóveis estão mudando.
O tempo todo.

Acompanhe por QUATRO RODAS.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.