Clique e assine por apenas 5,90/mês

Ford Territory tem aumento de preços, mas também é oferecido com desconto

Semanas após o lançamento, o SUV grande está até R$ 14.000 mais caro; concessionárias têm estoque e dá para negociar preço

Por Gabriel Aguiar - 6 out 2020, 16h35
Faróis de led são iguais à versão Titanium, mas a grade é totalmente preta Fernando Pires/Quatro Rodas

O Ford Territory já ficou mais caro – e até R$ 14.000, dependendo da versão. Mas ainda dá para fazer bom negócio com o SUV concorrente de Jeep Compass e até conseguir os preços de antes (ou pelo menos descontos mais generosos).

Com o reajuste, o SUV está tabelado em R$ 179.900 pela opção de entrada SEL, enquanto a topo de linha Titanium chega aos R$ 197.900. Com os mesmos equipamentos, as configurações custavam R$ 165.900 e R$ 187.900, respectivamente.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine por apenas R$ 8.90

Segundo apuramos junto às concessionárias da marca em todo o país, não falta estoque para o modelo, com diferentes opções de cores e versões a pronta entrega. Mas, para quem quiser uma cor específica, sem disponibilidade, há espera de até dois meses.

“Antes, só dava para trabalhar com o preço de tabela, sem margem de negociação. Mas agora já para brigar por preços melhores”, explica uma vendedora da Ford. Também há emplacamento e película gratuitos, dependendo da revenda.

Continua após a publicidade
Versão SEL tem menos cromados que a Titanium Fernando Pires/Quatro Rodas

Fato é que o primeiro lote de pré-venda, com 250 unidades, esgotou em apenas 15 dias. Antes, o fabricante sequer revelava uma previsão de emplacamentos para o SUV chinês, que teve as primeiras entregas antecipadas no mês passado.

Segundo levantamento realizado pela Mobiauto, foram emplacas 370 unidades do novo Territory em setembro. Do total, foram 332 exemplares da opção topo de linha, Titanium, o que representa 89,72% do mix, e apenas 32 da versão SEL.

Interior recebeu revestimentos escurecidos na opção SEL Fernando Pires/Quatro Rodas

Oferecidas com o mesmo 1.5 turbo de 150 cv de potência e 22,9 kgfm de torque, apenas a gasolina, e sempre com o câmbio automático CVT, as configurações se diferenciam pela lista de equipamentos de série e por detalhes de acabamento.

Na SEL já há faróis de led, central multimídia com Apple CarPlay e Android Auto, teto panorâmico, chave presencial e partida por botão, seis airbags, ar-condicionado digital, sensor de pressão dos pneus e assistente de partida em rampa.

Na mais cara, Titanium, há ainda sistemas de condução semiautônoma com frenagem de emergência, carregador sem fio, quadro de instrumentos digital, sensores de ponto cego, banco do motorista com ajuste elétrico e interior na cor bege.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade
Publicidade