Clique e assine por apenas 8,90/mês

Ford firma acordo de cooperação com a Volkswagen

Acordo é global, mas muito diferente daquele que deu origem à Autolatina

Por Henrique Rodriguez - 20 jun 2018, 13h59
Edifício da Autolatina
A Autolatina foi formada em 1987 pela união entre VW e Ford no Brasil, mas só durou nove anos Bia Parreiras/Quatro Rodas

Pode soar como a volta da Autolatina ou da Autoeuropa, mas não é. Ford e Volkswagen anunciaram estar estudando uma aliança estratégica.

Os dois grupos já deixaram claro que esta parceria não resultará na criação de uma nova empresa. Também não haverá investimentos entre as empresas ou troca de ações.

Atualmente a Ford tem três fábricas no Brasil: Taubaté (motores), São Bernardo do Campo (caminhões e Fiesta hatch) e Camaçari (Ka, Ka+ e EcoSport) Divulgação/Ford

Não se trata de uma nova fusão. O que esta aliança prevê é uma colaboração estratégica entre Ford e Volks. O objetivo é fortalecer a competitividade das duas empresas a nível global.

Para isso elas estudam, entre outras coisas, desenvolver uma linha de veículos comerciais em conjunto para “atender às necessidade em evolução de seus clientes”. Outras áreas de atuação ainda estão em estudo.

Continua após a publicidade
Fábrica Volkswagen Anchieta
A fábrica da VW em São Bernardo do Campo já produziu veículos da Ford Divulgação/Volkswagen

“A Ford está comprometida em melhorar a sua condição como negócio e utilizar modelos de negócios adaptativos, o que inclui trabalhar com parceiros para melhorar a nossa efetividade e eficiência”, afirmou Jim Farley, presidente de Mercados Globais da Ford.

Para o diretor do Grupo de Estratégia da Volkswagen, Dr. Thomas Sedran, “Ambas empresas já possuem posições fortes e complementares em diferentes segmentos de veículos comerciais.

Para nos adaptarmos a este ambiente desafiador, é de extrema importância ganhar flexibilidade por meio de alianças. Esse é um elemento chave da Estratégia do Grupo Volkswagen 2025″.

Essa parceria pode permitir que Ford e Volks tenham novos produtos para concorrer entre si. Dizer como isso acontecerá seria especulação. As duas fabricantes darão mais detalhes conforme as conversas avançarem.

Continua após a publicidade

O que foram a Autolatina e a Autoeuropa?

Ford Versailles
Ford Versailles, o Santana da Ford Divulgação/Ford

Entre 1987 e 1996, as operações de Ford e Volkswagen no Brasil e na Argentina esteve unida sob a Autolatina, uma joint venture controlada pela Volkswagen, quem detinha 51% da participação.O objetivo era poupar recursos e maximizar resultados.

Só que a Ford ficou com dinheiro, mas sem carro próprio e a VW, sem independência. O choque entre as culturas das matrizes americana (Ford) e alemã (VW) também deu o que falar. Porém a incompatibilidade de gênios provocou o fim do negócio.

190214-fracasso-05.jpg
VW Logus: o sucessor do Apollo derivava da segunda geração do Ford Verona; deixou de ser produzido em dezembro de 1996 Acervo/Quatro Rodas

Ao longo dos nove anos que a Autolatina durou nasceram modelos como Versailles (o Santana da Ford), Logus (o Escort da Volks) e o Apolo (o Verona da Volks). Além disso, o Gol chegou a usar motores Ford e a Ford usou os motores AP, um dos motores mais importantes da história da Volkswagen.

Em Portugal, as duas empresas formaram outra joint venture, a Autoeuropa, formada em 1991. Neste caso, Ford tinha 50% e Volkswagen, 50%.

Continua após a publicidade

Deste negócio nasceu uma fábrica, em Palmela, e três monovolumes gêmeos: Volkswagen Sharan, SEAT Alhambra e Ford Galaxy. A Volkswagen assumiu 100% do negócio em 1999, mas continuou produzindo a van da Ford até 2006.

Hoje, Sharan, Alhambra e o SUV T-Roc são produzidos na unidade, que também foi responsável pela produção do conversível Eos e do cupê Scirocco, já descontinuados.

Ford Galaxy
Fruto da Autoeuropa, o Ford Galaxy chegou a ser vendido com motor VR6 2.8 da Volkswagen Divulgação/Ford
Publicidade