Clique e assine por apenas 8,90/mês

Fiat Argo Trekking 1.8 AT é quase tão caro quanto um HGT

A espera de SUV compacto e câmbio CVT, Fiat lança solução caseira com o velho motor 1.8 E.torQ

Por Henrique Rodriguez - Atualizado em 3 dez 2019, 00h25 - Publicado em 2 dez 2019, 11h52
Versão aventureira tem suspensão elevada e teto preto Reprodução/Fiat

Mesmo sendo vendido apenas com o motor 1.3 Firefly de 109 cv e câmbio manual, o Fiat Argo Trekking é a segunda versão mais vendida do modelo (representa 30% do total de suas vendas).

Esses números podem melhorar com o lançamento da opção com motor 1.8 E.torQ  de 139 cv e câmbio automático, que já está no site da fabricante

Faixas e molduras nas caixas de roda também fazem parte da decoração Reprodução/Fiat

A única barreira deve ser o preço: R$ 68.990. Na prática, custa R$ 9.000 mais caro que a versão 1.3 e é R$ 1.000 mais em conta que o Argo HGT, que tem visual e acerto de suspensão esportivo, mas o mesmo conjunto mecânico. 

A versão Trekking também tem suspensão diferenciada. Mas neste caso é elevada para deixar a parte inferior da carroceria livre de raspões. Ainda tem pneus Pirelli de uso misto, logotipos com fundo preto e o teto é sempre pintado na cor preta.

Continua após a publicidade
Versão Trekking é a segunda mais vendida do Argo Reprodução/Fiat

Como na versão 1.3, o Trekking 1.8 tem de série faróis com luzes diurnas integradas e central multimídia Uconnect com tela de 7 polegadas, ar-condicionado, direção elétrica, vidros, travas e retrovisores elétricos, faróis de neblina e banco do motorista com regulagem de altura.

O que ele tem a mais são as rodas de liga-leve aro 15 pretas. Pode-se pagar a mais por ar-condicionado automático, quadro de instrumentos com tela colorida para o computador de bordo e pela câmera de ré. 

Mas não dá para ter os controles de estabilidade e tração, nem assistente de partida em rampa. O Argo Trekking torna-se, assim, o único Fiat com motor 1.8 e câmbio manual sem estes equipamentos de segurança. Melhor reconsiderar o HGT. 

Efeito paliativo

O que se esperava inicialmente era que o Argo Trekking seria responsável pelo lançamento de novo câmbio CVT combinado ao motor 1.3 de 109 cv. Contudo, este novo conjunto só deverá ser lançado em 2020.

Continua após a publicidade
Os dois novos SUVs da Fiat feitos em Betim (MG) usarão plataforma do Argo Du Oliveira/Quatro Rodas

Além disso, o próprio Argo Trekking 1.8 AT está em uma faixa de preço que, futuramente, poderá abrigar os novos SUV compacto e SUV cupê que a Fiat está desenvolvendo para o Brasil. Eles serão baseados na plataforma do Argo e serão posicionados abaixo dos Jeep Renegade e Compass.

O primeiro carro, previsto para aparecer entre o final de 2020 e o princípio de 2021, terá o motor 1.3 aspirado nas versões de entrada e o  GSE T3, 1.0 turbo de três cilindros com 120 cv nas mais caras, ambas com câmbio CVT. O cupê deverá utilizar a mesma mecânica, mas só chega em 2021. 

Publicidade