Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Estudo aponta que números de consumo de veículos da Mercedes são errados

Departamento europeu de Transporte & Meio Ambiente (T&E) foi o responsável pela avaliação

Por Cadu Tupy Atualizado em 9 nov 2016, 14h09 - Publicado em 10 nov 2014, 14h43
testes

Um estudo feito pelo Departamento europeu de Transporte & Meio Ambiente (T&E) mostrou que a Mercedes-Benz é a montadora que apresenta os dados mais discrepantes na questão de consumo de combustível dos seus veículos em relação aos valores obtidos em avaliações particulares.

Segundo o departamento, o consumo de um dos veículos seria até 40% maior do que o apontado pela Mercedes, enquanto a média de outras companhias fica em 31%, diferença superior aos 8% revelados na última pesquisa em 2001, o que custaria até 500 euros a mais por ano com combustível para um motorista comum.

Os dados superestimados podem ter sido adquiridos usando lubrificantes especiais, pneus com pressão de ar acima do recomendado, tirando peso do veículo, modificando freios e alinhamento e, até mesmo, testando o carro em grandes altitudes com pneus lisos para pista seca em dias quentes.

O relatório diz ainda que os sistemas eletrônicos modernos dos carros podem detectar automaticamente que uma avaliação está sendo feita e alterar o comportamento do carro para garantir maior autonomia, em uma técnica já utilizada antes para burlar testes de poluição do ar.

Até 2017 um novo teste global deve ser implementado para buscar números mais de acordo com o a realidade, porém algumas montadoras, não identificadas, estariam pressionando para que a mudança na avaliação passe a acontecer apenas após 2022.

Continua após a publicidade

Publicidade