Clique e assine por apenas 8,90/mês

Este jatinho-limusine com motor V8 pode ser seu por R$ 18,5 milhões

Empresa usou cabine e profundores de aeronave em protótipo que pode levar até nove pessoas

Por Rodrigo Ribeiro - 4 fev 2019, 16h28
A carroceria mede, de ponta a ponta, 12,8 metros de comprimento Jetsetter/Divulgação

Se você acha que luzes de neon, rodas cromadas e pessoas penduradas no teto-solar não chamam a atenção suficiente para você chegar em uma festa, uma empresa nos EUA pode ter a solução para seus problemas.

A Limo-Jet, construída pela Jetsetter, é exatamente isso que o nome indica: uma limousine em formato de avião a jato.

Para alegria de quem está atrás, a Limojet não usa motores a jato Jetsetter/Divulgação

O detalhe é que o veículo não imita uma aeronave. Sua cabine é literalmente um charuto de um Learjet, que emprestou também os profundores, porta e suporte dos motores a jato.

O conjunto fica sobre um chassi Chevrolet, equipado com um motor V8 com câmbio automático e tração traseira.

O motorista usa volante e pedais, como em um carro convencional Jetsetter/Divulgação

Mas são os detalhes que fazem com que “chamativo” seja um eufemismo para resumir essa limousine.

Começando pelo suporte dos motores a jato, que agora sustentam enormes alto-falantes na frente e luzes em leds atrás, para simular o pós-combustor (afterburner), típico de aviões militares.

Continua após a publicidade
Alto-falantes na ponta das “asas” garantem o som no posto de gasolina Jetsetter/Divulgação

Uma cobertura sobre simulacros das asas também se levanta para revelar seis alto-falantes de cada lado, garantindo que todos na rua possam escutar a mesma música que toca no interior.

O interior pode levar até oito passageiros lado a lado Jetsetter/Divulgação

A cabine da Limo-Jet também é curiosa, com bancos dispostos para oito passageiros na longitudinal (para aproveitar melhor o espaço do charuto estreito) e luzes que simulam um chão infinito no chão.

Luzes na traseira simulam um pós-combustor Jetsetter/Divulgação

Na frente há espaço apenas para o motorista, que usa volante e pedais como em um carro convencional. A maior diferença estão nas quatro câmeras, posicionadas para compensar a ausência de retrovisor.

Os profundores são originais do Learjet que doou o charuto Jetsetter/Divulgação

Outro resquício da aviação veio dos controles das luzes e do som, posicionados no teto e feitos com botões similares aos usados nas aeronaves.

A porta que dá acesso ao interior é derivada da usada no avião de verdade Jetsetter/Divulgação

Segundo os empresários responsáveis pelo projeto, foi gasto US$ 1 milhão (quase R$ 3,7 milhões pela cotação atual) ao longo dos 12 anos que a Limo-Jet foi desenvolvida.

O veículo pode ser alugado para eventos e guiado em vias públicas, mas quem quiser um desses na garagem precisará embolsar um pouco mais: R$ 18,5 milhões por unidade.

Continua após a publicidade
Publicidade