Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Estados Unidos pressiona México em negociações com fabricantes chinesas

A chegada das fabricantes chinesas no México tem incomodado os Estados Unidos, que tem o receio de futura investida no país de forma "ilegal"

Por Lucas Parente
21 abr 2024, 14h00

O México abriu as portas para as fabricantes de automóveis chinesas entrarem no país e instalarem fábricas. Seria um meio de as marcas chinesas conseguirem entrar nos Estados Unidos sem pagar taxas abusivas cobradas pelo governo estadunidense. Mas os EUA não está feliz com isso.

Com a fabricação de carros no México, as fabricantes chinesas poderiam vender seus carros nos EUA com benefícios assegurados pelo Acordo Estados Unidos-México-Canadá (USMCA), de livre comércio. Mas isso irritou as autoridades americanas, que estão com muito medo de perder hegemonia no mercado automotivo dentro do seu próprio país.

Há uma pressão estadunidense contra isso, o que fez o governo mexicano parar de conversar com as empresas chinesas. Em janeiro, autoridades mexicanas afirmaram à BYD que não concederiam mais terras e incentivos fiscais à ela, como haviam feito no passado.

BYD Pickup
A próxima picape eletrificada da BYD, que deve vir ao Brasil, mostrada camuflada no México (Divulgação/BYD)

Esta decisão do governo mexicano (supostamente) tem um pé do Gabinete Representante Comercial do Estados Unidos, embora eles se recusem a afirmar isso. Contudo, o próprio governo Biden já disse que “não permitirá que as montadoras chinesas inundem o mercado de veículos que representam uma ameaça à segurança nacional”.

Continua após a publicidade

O México é um centro de produção para diversas montadoras, sejam elas, propriamente, norte-americanas ou alemãs ou japonesas. No entanto, o governo estadunidense nunca se importou com este avanço internacional em seu país vizinho, apenas agora que a China também está interessada.

O país asiático tem feio grandes investimentos no setor automotivo mexicano e tem como maior objetivo fincar sua bandeira num país vizinho dos EUA que desempenha um papel tão importante no abastecimento de automóveis do país.

BYD já vende bem no México, mas o foco da nova fábrica está nos EUA
Dia da chegada da BYD no México (Divulgação/BYD)

A administração do governo Biden seguirá influenciando a decisão do seu país vizinho, ainda mais em um ano de eleição. E, talvez, o México irá ceder, pois tem medo dos EUA propor termos desfavoráveis na próxima revisão do acordo de livre comércio, que ocorre em 2026.

Continua após a publicidade
Compartilhe essa matéria via:

Apesar de toda a pressão, cerca de 20 montadoras chinesas já estão no mercado automotivo mexicano, incluindo BYD, JAC, MG e Chery (lá chamada de Chirey). Como no Brasil, elas estão oferendo produtos baratos e com propostas para uma futura eletrificação do mercado.

Tiggo 7 hibrido
Como no Brasil, está passando a ser comum ver carros com o Caoa Chery Tiggo 7 pelas ruas do México (Divulgação/Caoa Chery)

A VW e a Toyota dominavam o mercado entre as marcas populares. Mas, agora, os compradores estão passando a migrar para outras alternativas, como BYD e MG, marcando um afastamento das marcas tradicionais.

Mesmo com todo o esforço do governo estadunidense para a não entrada das empresas chinesas, há outros meios que podem ser usados pelas montadoras. Na China, a BYD e a Tesla tem um histórico de trabalhos em parceria, fornecendo baterias ao fabricante americano. É possível que os chineses façam o mesmo com outras montadoras, o que evitaria tarifas. Essa novela ainda terá muitos capítulos.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.