Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Derrapando nas vendas em 2021, Chevrolet Camaro pode não ter nova geração

Modelo chegou a ter sétima geração descartada após facelift polêmico e fim de sua produção anunciado para 2023

Por Pedro Henrique Oliveira Atualizado em 1 jul 2021, 11h48 - Publicado em 1 jul 2021, 11h45
Chevrolet Camaro azul visto 3/4 de frente
Chevrolet Camaro ganhou mudanças na dianteira após críticas Divulgação/Chevrolet

A situação do Chevrolet Camaro é preocupante. A sexta e mais recente geração do modelo está no mercado desde 2016 e sofreu poucas mudanças desde então. Apesar de outros modelos, como o Ford Mustang, serem mais novos e terem recebido um facelift, o Camaro não passou por mudanças profundas, o que deixa o modelo atrás na corrida contra seus competidores. 

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Dentro do segmento de muscle cars o Mustang é o líder de vendas, seguido pelo Dodge Challenger. O terceiro lugar fica para o Camaro, mas não é apenas isso que desperta um alerta. A queda drástica nas vendas nos Estados Unidos preocupa ainda mais a fabricante e os fãs do modelo. 

De acordo com um levantamento interno da GM, as vendas do Camaro tiveram o seu pior primeiro trimestre em uma década. Para efeito de comparação, no primeiro quarto de 2010, o modelo teve 20.757 unidades vendidas em território americano. O mesmo período em 2021 aponta um dado assustador, já que apenas 7.089 Chevrolet Camaro foram vendidos nesse período.

No Brasil, o esportivo teve apenas 30 emplacamentos de janeiro a maio, entre as versões cupê e conversível.  

Chevrolet Camaro laranja visto por trás
Os números das vendas são preocupantes, já que um pouco mais de 7 mil unidades foram vendidas no primeiro trimestre de 2021 nos EUA Christian Castanho/Quatro Rodas

O Camaro teve o pico de vendas no primeiro trimestre de 2012, com 21.924 unidades vendidas. Esse número permaneceu estável até 2017, ano no qual foi observada uma queda estrondosa nas vendas, que baixaram ao patamar de 15 mil unidades. 

Continua após a publicidade

A GM não pode culpar nem a crise dos chips e semicondutores, que fez com que a linha de produção do Camaro ficasse parada, porque a enfática queda começou antes desse período.

A melhor alternativa para a empresa seria lançar uma sétima geração o mais rápido possível, mas aparentemente isso não acontecerá. Após o visual polêmico da grade no facelift de 2019, alguns rumores apontavam que o modelo não receberia uma nova geração e que seria descontinuado em 2023.

  • Depois desta notícia, novas especulações surgiram indicando que ele ganharia uma sobrevida e duraria até 2026. Contudo, com os números de vendas em queda livre, será difícil dar prosseguimento ao projeto tradicional do Camaro.   

    Há muitas explicações para esse número baixo. É evidente que, quando a quinta geração foi lançada, em 2010, o muscle era muito esperado já que havia passado pelo fim da sua produção em 2002. Além disso, tinha apelo mais retrô, com visual inspirado em suas gerações mais icônicas. 

    Chevrolet Camaro azul visto de lado
    A pouca mudança no visual da sexta geração foi alvo de muitas críticas Divulgação/Chevrolet

    Com a sexta geração lançada em 2016, apesar do modelo possuir uma plataforma de tração traseira, o visual não passou por mudanças significativas, o que foi alvo de críticas por parte dos fãs assim que o “novo” visual foi apresentado. 

    Para retomar os dias de glória do muscle, uma possibilidade para, ao menos competir com o Mustang e o Challenger nas vendas, é ir em direção a eletrificação total. Isso vai contra a política adotada pela empresa para o Camaro, mas pode ser a sua salvação. Por enquanto, a previsão para o futuro do Chevrolet Camaro não é nada boa.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital

    Capa de QUATRO RODAS 746
    A edição 746 de QUATRO RODAS já está nas bancas! Arte/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade