Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

De volta aos anos 70

Honda oferecerá motos derivadas das oficiais para equipes satélites como nos anos 70 e 80

Por Ismael Baubeta Atualizado em 9 nov 2016, 11h58 - Publicado em 5 jul 2012, 14h07
Réplica da moto de Stoner

Shuhei Nakamoto, o todo poderoso da HRC – setor de competições da Honda – confirmou que a fábrica da asa está trabalhando em uma versão simplificada da consagrada RC213V de Moto GP, para fornecimento às equipes privadas. “Não será uma CRT” – motos que alinham com a MotoGP, mas pontuam separadamente, será, sim, uma moto de competição de produção”, completa.

Será algo como o que ocorria nos anos 70 e 80 em que as motos TZ da Yamaha, RS da Honda e RG da Suzuki, protótipos construídos para competição eram vendidos para equipes participantes do mundial – as chamadas equipes satélite – o que deixava sempre os grids lotados valorizando o show. “A nova moto terá um nível de tecnologia diferente das motos de fábrica, uma caixa de câmbio standard e estamos pensando em válvulas pneumáticas, que permitem mais precisão e agressividade no comando de válvulas”, comenta Shuhei.

A durabilidade será um fator crucial para este protótipo nascido para competir. De qualquer forma esta nova moto terá como base a moto utilizada por Casey Stoner e Dani Pedrosa e será sem dúvida mais competitiva que as CRT’s. Shuhei Nakamoto, obviamente sabe quando a moto estará disponível, mas se reservou a dizer somente “em breve”. Estima-se que o leasing de uma moto dessas custará à equipe interessada algo em torno de um milhão de euros (pouco mais de 2,5 milhões de reais) e as motos terão um número limitado de unidades.

Publicidade