Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Crise? Toyota ‘resolve’ falta de chips e terá 100% de produção em dezembro

Mesmo com as marcas correndo atrás de soluções para a crise dos chips, a Toyota diz já ter resolvido essa questão e sem impactar a essência dos seus modelos

Por Pedro Henrique Oliveira 25 nov 2021, 08h10

A Toyota pode ter descoberto a solução para a crise do chips. Parece estranho afirmar isso, já que todo o mundo automotivo sofre com a escassez dos materiais. A previsão é que a situação global comece a melhorar a partir do segundo semestre de 2022, mas a marca japonesa parece já ter encontrado uma resolução para o problema. 

Black Friday! Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 6,90

Faz mais de um ano que a indústria automotiva sofre com a escassez de chips e semicondutores, materiais necessários para uma série de sistemas eletrônicos em um carro. A falta de insumos fez com que as fábricas parassem de produzir ou até mesmo deixassem carros ‘quase prontos’, apenas aguardando os seus respectivos chips.  

Toyota Hilux 2022 vermelha vista de frente
A Hilux é um dos modelos mais procurados da Toyota e, por consequência, um dos que enfrenta a maior fila de espera Divulgação/Toyota

A Toyota, na contramão da maioria das empresas, afirmou que estará com 100% da capacidade de produção global já em dezembro. A empresa afirmou que produzirá até 800.000 veículos no último mês deste ano.

A matemática é simples. Ao utilizar como base o mercado da América do Norte, é possível dizer que os consumidores estão cada vez mais ávidos por carros novos. Se, na busca por modelos nas concessionárias, a Toyota for a única empresa a contar com unidades disponíveis para pronta-entrega, ela terá o maior volume de vendas. 

Continua após a publicidade

Fabrica Toyota Divulgação
Ao contrário do resto do mercado, a empresa pretende alcançar 100% da produção global em dezembro Divulgação/Quatro Rodas

Isso pode causar uma mudança a longo prazo no mercado automotivo. Por conta do momento atual, alguns clientes podem se tornar leais à Toyota, o que aumentará o número de consumidores leais da marca ao longo do tempo.

Dois Toyota Corolla Cross 2.0 XRE, um branco e outro vermelho, vistos de 3/4 de frente
A empresa afirma que os modelos não perderão sua essência Fernando Pires/Quatro Rodas

Outras fabricantes, como Ford e GM, buscam parcerias para produzir os seus próprios chips e sair desta situação incômoda. Em vantagem neste cenário, a Toyota poderia, mais uma vez, se tornar a maior montadora de carros do mundo. 

A pergunta é: como a marca japonesa driblou essa crise? A resposta é uma grande incógnita. Ninguém de dentro da Toyota veio a público para explicar como a empresa será capaz de garantir chips para toda a sua produção. Mesmo assim, a única certeza dada pela fabricante é de que os modelos não perderão sua essência.

Motor da Toyota Hilux 2022
A empresa não apresentou qual solução foi dada para a crise dos chips, mas afirmou que o problema está solucionado Divulgação/Toyota

Não pense que a Toyota não passou por maus bocados na pandemia. A empresa foi obrigada a diminuir drasticamente a produção e chegou a paralisar as quatro fábricas em território brasileiro.

Dito isso, não há como afirmar se os modelos, de fato, não perderão sua essência ou chegarão às concessionárias com menos equipamentos de série. A marca garante que isso não acontecerá. 

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

CAPA 751 quatro rodas
A edição 751 de QUATRO RODAS já está nas bancas! arte/Quatro Rodas
Continua após a publicidade

Publicidade