Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Comparativo no papel: Hyundai Creta x Honda HR-V

Levando em conta preços e pacotes de equipamentos, SUV da marca coreana tem condições reais de incomodar o atual líder da categoria

Por Vitor Matsubara Atualizado em 7 dez 2016, 18h04 - Publicado em 6 dez 2016, 19h31
Hyundai Creta x Honda HR-V

Astro da Hyundai no último Salão do Automóvel, o Creta surge como principal ameaça ao reinado do Honda HR-V. Apoiado na tradição da marca sul-coreana em SUVs, o modelo estreia no mercado nacional em janeiro de 2017 disposto a conquistar uma fatia generosa do segmento “da moda” no Brasil.

Para atingir seu objetivo, o Creta aposta em motorizações atraentes e conteúdo generoso. Mas será que o Hyundai terá condições de desbancar o atual líder HR-V? Como ainda não tivemos condições de leva-lo à pista de testes, comparamos os dois modelos com base nas informações liberadas até agora pela Hyundai, ou seja, preços e lista de equipamentos.

Analisamos apenas as versões oferecidas com câmbio automático (no caso do HR-V a caixa é CVT), considerando que serão elas as mais procuradas – a própria Hyundai estima que as configurações automáticas responderão por 85% do volume estimado de vendas mensais (3.000 unidades).

 

Creta Pulse 1.6 AT (R$ 85.240) x HR-V LX 1.8 CVT (R$ 86.800)

Alguns vão dizer que seria mais justo comparar o HR-V LX com a versão de entrada Creta Attitude. Mas a situação muda ao observarmos a proximidade do preço do HR-V LX com o Creta Pulse, sendo que a LX é a versão mais barata do HR-V e a Pulse a configuração intermediária da linha Creta.

Méritos para a Hyundai, que posicionou seu produto de forma agressiva (e competitiva) no mercado. Outro ponto importante é o fato de a versão de entrada Attitude vir apenas com câmbio manual de seis marchas, algo que não ocorre com a Pulse – como dissemos anteriormente, levamos em consideração apenas as versões oferecidas com transmissão automática.

Ambos saem de fábrica com ar-condicionado, direção elétrica, controles de estabilidade e de tração e assistente de partida em rampas. No entanto, piloto automático, sensor de pressão dos pneus e sistema start-stop são exclusividades do Creta.

Pesam a favor do HR-V as ofertas do freio de estacionamento elétrico e o versátil sistema de rebatimento de bancos ULT, que abre espaço para transporte de cargas de vários tamanhos. O motor 1.8 do Honda também é mais forte: são 140 cv e 17,4 mkgf, contra 130 cv e 16,5 mkgf do 1.6 do Creta.

Hyundai Creta
150312hrv-08.jpg
Divulgação

Creta Pulse 2.0 AT6 (R$ 92.490) x HR-V EX 1.8 CVT (R$ 93.000)

A versão intermediária com motor 2.0 da novidade da Hyundai traz faróis do tipo projetor e luzes de iluminação diurna de leds, vidros elétricos com função antiesmagamento, sistema de navegação por satélite (GPS), saídas de ar-condicionado para o banco traseiro e faróis com iluminação adaptativa lateral – estes dois últimos itens não são oferecidos em nenhuma versão do HR-V.

Continua após a publicidade

Frente ao seu rival, o HR-V se destaca por oferecer o supracitado freio de estacionamento elétrico e ar-condicionado digital – no Creta intermediário ele é analógico.

Além disso, no papel o motor 2.0 oferecido no coreano é mais potente e com mais torque que o do japonês: até 166 cv e 20,5 mkgf, contra os 140 cv e 17,4 mkgf do 1.8 do HR-V.

Hyundai Creta
Honda HR-V Touring

Creta Prestige 2.0 AT6 (R$ 99.490) x HR-V EXL 1.8 CVT (R$ 101.400)

A versão topo de linha do HR-V traz entrada HDMI na central multimídia e espelho retrovisor com função Tilt Down. O Creta Prestige, por seu lado, oferece airbags laterais e do tipo cortina (somando seis bolsas infláveis contra quatro do Honda), banco do motorista com climatização e destravamento das portas e partida do motor sem chave. E o Hyundai ainda custa R$ 1.910 a menos.

A Honda prepara para breve o contra-ataque com o lançamento de uma nova versão topo-de-linha chamada Touring. Apresentada no Salão do Automóvel de São Paulo, ela custará mais do que a EXL – e, consequentemente, também será mais cara do que o Creta Prestige.

 

VEREDICTO

Mais barato do que o HR-V em todas as versões, o Creta tem tudo para incomodar o atual líder da categoria. Além de pesar menos no bolso, o modelo da Hyundai tem uma opção de motorização mais potente (no caso da configuração 2.0) e prazo de garantia maior (cinco anos contra três da Honda).

Ambos os serviços de pós-venda foram bem avaliados na pesquisa de satisfação Os Eleitos 2016. No entanto, vale ressaltar um ponto importante a favor do HR-V: o Honda tem freio a disco nas quatro rodas, enquanto o Creta insiste no freio a tambor na traseira.

Este último aspecto e tudo mais relacionado à motorização, dirigibilidade e consumo só poderão ser comparados de fato quando a Hyundai Motor Brasil (não confundir com a Caoa, responsável pelos importados e pela linha Tucson / ix35) disponibilizar veículos para teste, o que deve ocorrer logo no início de 2017.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade