Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Combustível já está mais caro após aumento dos impostos

Litro da gasolina teve tributo dobrado e pode custar até R$ 0,41 a mais se postos repassarem aumento na íntegra para os clientes

Por Vitor Matsubara Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 21 jul 2017, 11h22 - Publicado em 21 jul 2017, 11h16
O Creta inaugura uma nova fase: os carros serão abastecidos somente com gasolina
Aumento nos preços pode chegar a R$ 0,41 se postos repassarem o reajuste na íntegra (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Os postos de combustível já receberam das distribuidoras o repasse do aumento do PIS e Confins realizado pelo governo.

A informação foi confirmada ao portal G1 pelo presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro), José Alberto Gouveia.

A nova alíquota abrange gasolina, etanol e diesel. A maior tributação foi realizada na gasolina, cujo preço do litro passou de R$ 0,38 para R$ 0,79 por litro.

Se a alta for repassada na íntegra para o consumidor, o litro do combustível deve custar R$ 0,41 a mais. A decisão, no entanto, cabe a cada estabelecimento.

Continua após a publicidade

A maioria dos postos de combustível já pratica novos preços desde a manhã desta sexta-feira, 21 de julho.

Alguns locais, no entanto, ainda estão oferecendo combustíveis pelos valores antigos, resultando em longas filas de clientes.

De acordo com o G1, um posto da bandeira Shell na Avenida Luis Carlos Berrini já exibia os valores atualizados de etanol (R$ 2,39) e gasolina (R$ 3,39).

Mesmo assim, os valores nas bombas ainda eram os antigos: R$ 2,099 para o etanol e R$ 2,99 para a gasolina, ou R$ 0,40 mais baratos.

Continua após a publicidade

“Vai ter posto com estoque baixo que subirá os preços de imediato, enquanto outros tentarão segurar um pouco, porque o mercado está muito competitivo”, afirma Gouveia, ressaltando que o setor esperava um incremento mais baixo, em torno de aproximadamente R$ 0,10.

O presidente do Sincopetro admitiu que o aumento deve reduzir o movimento nos postos.

Procurado pelo G1, o Sindicom (Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes), a Petrobras e a União da Indústria de Cana de Açúcar (Unica) ainda não se manifestaram sobre os novos valores.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Os automóveis estão mudando.
O tempo todo.

Acompanhe por QUATRO RODAS.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.