Clique e assine por apenas 8,90/mês

Com 1,3 bilhão de habitantes, Índia está há um mês sem vender nenhum carro

Duras medidas restritivas adotadas pelo governo contra a pandemia do coronavírus fizeram o mercado local zerar vendas de automóveis em abril

Por Daniel Telles - Atualizado em 5 Maio 2020, 16h24 - Publicado em 5 Maio 2020, 11h29

Suzuki Ignis na posição 3x4 de traseira

A pandemia do novo coronavírus tem sido muito dura com a indústria automotiva no mundo todo, acarretando o fechamento de fábricas e na queda drástica nas vendas.

No Brasil, por exemplo, houve uma queda de 90% nas vendas de veículos novos no início da quarentena. O número baixou para pouco mais de 80% ao longo do mês de abril.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

A situação na Índia, porém, chama ainda mais atenção. O segundo país mais populoso do mundo (1,34 bilhões de habitantes) passou o mês de abril sem vender um carro zero-quilômetro sequer.

Continua após a publicidade
Mercado automotivo se resumiu à venda de tratores

O número impressionante decorre principalmente das fortes medidas de restrição de circulação impostas no país.

Por lá, desde 24 de março somente bancos, farmácias e supermercados continuam abertos e só se pode sair à rua se comprovada a necessidade de realizar algum serviço essencial.

Os únicos veículos que continuam sendo vendidos durante a quarentena indiana são os tratores voltados para a agricultura, serviço considerado essencial.

A fabricante local Mahindra, por exemplo, vendeu 4.716 unidades no último mês.

A Índia soma até esta segunda-feira (4) 42.533 casos confirmados de Covid-19 e 1.373 mortes. No último sábado (2), o governo anunciou o prolongamento da quarentena no país por mais duas semanas.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da edição de maio da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade
Publicidade