Clássicos: Hupmobile, o primeiro carro a dar uma volta ao mundo

Desconhecido pelas novas gerações, o pequeno fabricante de Detroit chegou a competir com a gigante Ford na tarefa de motorizar os Estados Unidos

Produzido de 1918 a 1925, o Modelo R foi o Hupmobile de maior sucesso

Produzido de 1918 a 1925, o Modelo R foi o Hupmobile de maior sucesso (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Quando o Modelo R foi apresentado em 1918, o Hupmobile já não estava entre os dez carros mais vendidos nos EUA.

Preocupada em atender aos anseios de sua fiel clientela, a Hupp Motor Car Company não fazia questão de competir em volume contra Ford, Chevrolet, Dodge e outros que tiveram melhor sorte ao longo do século 20.

A Hupp foi fundada em 1909 pelo engenheiro Robert Craig Hupp e seu irmão Louis, após reunirem investidores para financiar o Modelo 20.

Robusto e confiável, o Hupmobile 20 foi um dos maiores rivais do icônico Ford Modelo T e primeiro automóvel a completar uma volta ao mundo em 1912.

A versão com carroceria Touring tem capota retrátil, cinco lugares e quatro portas

A versão com carroceria Touring tem capota retrátil, cinco lugares e quatro portas (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Foi sucedido pelo Modelo 32, um dos primeiros no mundo com carroceria de aço. Notório pela confiabilidade, o Hupmobile foi o primeiro automóvel a visitar todas as capitais americanas em 1916.

No mesmo ano, no Brasil, Fernando Chaves venceu o Raid São Paulo–Ribeirão Preto: seu Hupmobile foi o único carro a completar a prova em menos de 11 horas.

Lançado em 1917, o Modelo R foi o Hupmobile mais vendido. A publicidade o chamava de “Carro Conforto” pela dirigibilidade e confiança que inspirava.

Subia qualquer ladeira com seu câmbio de três marchas e motor 3.0 de quatro cilindros e 16,9 cv, apesar da gasolina de baixa octanagem comum da Primeira Guerra.

A Hupp era contra a obsolescência programada: o Modelo R manteve o chassi apoiado em eixos rígidos, assoalho de madeira e carroceria de aço.

Havia cinco estilos de carroceria em três opções básicas: Roadster (dois lugares), Touring (cinco lugares) e Industrial Wagon (picape). Os freios atuavam só nas rodas traseiras.

Com raios de alumínio e aro de madeira, o volante foi padronizado do lado esquerdo nos EUA em 1914

Com raios de alumínio e aro de madeira, o volante foi padronizado do lado esquerdo nos EUA em 1914 (Christian Castanho/)

Havia três tipos de rodas: aberta com raios de madeira, aberta com raios de aço ou fechada com disco de aço.

Entre os itens de série, velocímetro, amperímetro, ignição Bosch, buzina elétrica, reostato dos faróis, limpador de para-brisa, amortecedores de fricção, mala traseira, espelho retrovisor, trava antifurto e um jogo de ferramentas com macaco e estepe.

O sistema de arrefecimento não tinha bomba d’água e a refrigeração era feita por termossifão.

Em 1924, o bloco foi redesenhado para refrigerar uma área maior dos cilindros, o virabrequim recebeu balanceamento estático e dinâmico e o comando de válvulas foi redimensionado.

Com poucas alterações, cerca de 178 mil Modelos R foram produzidos até 1925.

Interior é todo forrado de couro

Interior é todo forrado de couro (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Nesse ano veio o Modelo E, primeiro carro não luxuoso com motor de oito cilindros em linha. A ideia da Hupp era aproveitar sua baixa capacidade de produção em um modelo mais rentável para disputar mercado com Buick, Lincoln e Packard.

O sucesso do Hupmobile E foi imediato, com quase 15 mil unidades produzidas.

Em 1926, o Modelo R foi substituído pelo Modelo A de seis cilindros. Desenhado pelo Amos Northup, o Hupmobile Century de 1928 estabeleceu o recorde de 65.000 unidades produzidas naquele ano.

A Hupp só não contava com a crise de 1929, que aniquilou o mercado de luxo e selou seu destino durante a década de 30.

Versão tinha um elevado padrão de acabamento

Versão tinha um elevado padrão de acabamento (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Desenhado por Raymond Loewy, o Modelo I, de 1932, não fez sucesso, bem como o aerodinâmico ModeloJ, de 1934. Suspensa em 1937, a produção foi retomada em 1939 com o Modelo R.

Denominado Skylark, o Hupmobile R era baseado no Cord 810 de Gordon Buehrig, mas apenas 354 foram produzidos até a Hupp encerrar suas atividades, em 1941.

Cerca de 561 mil Hupmobile foram produzidos em três décadas. Quase 80 anos depois, aproximadamente  1 mil deles foram registrados pelos entusiastas da marca no mundo todo, poucos no Brasil.

Quatro cilindros nos Hup de 1909 a 1924

Quatro cilindros nos Hup de 1909 a 1924 (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Produzido em 1925, este Modelo R Touring foi um dos primeiros automóveis do colecionador Og Pozzoli e atualmente integra o prestigiado acervo da Fundação Lia Maria Aguiar.

Ficha Técnica – Hupmobile Modelo R Touring 1925

  • Motor: 4 cilindros em linha, 3 litros; 16,9 cv; torque não declarado
  • Câmbio: manual de 3 marchas
  • Carroceria: aberta, 4 portas, 5 lugares
  • Dimensões: comprimento, 430 cm; largura, 192 cm; altura, 170 cm; entre-eixos, 292 cm; peso, 1.245 kg
  • Desempenho: aceleração não chega aos 100 km/h; velocidade máxima 85 km/h
Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s