Civic Type R sai da concessionária e é destruído em engavetamento

Esportivo da Honda foi prensado entre dois veículos quando o dono estava voltando da loja para casa

Só tem uma coisa pior que você bater um carro logo após sair da loja: quando batem em você.

Isso aconteceu com Greg Ellingson, um empresário norte-americano que estava parado em um engarrafamento com seu novíssimo Honda Civic Type R quando foi alboroado por outro veículo em Connecticut.

O impacto foi forte o suficiente para empurrar o hatch esportivo de até o automóvel da frente, destruindo também sua dianteira. Quer dor maior no coração? Os plásticos ainda estavam nos bancos… Felizmente nenhum dos envolvidos se feriu.

Cheiro de novo, plástico no banco e um pelo estrago na dianteira

Cheiro de novo, plástico no banco e um pelo estrago na dianteira (Greg Ellingson/Facebook)

Greg relatou o acidente em sua página no Facebook, onde também colocou fotos do carro que havia comprado por R$ 121 mil (pela cotação desta segunda-feira, 31/07).

Mesmo não sendo de produção limitada, o Civic Type R ainda é bem raro nos EUA, a ponto do empresário ter viajado quase 500 km até Boston para buscar o carro dos seus sonhos.

Como estragar uma belíssima traseira em décimos de segundo

Como estragar uma belíssima traseira em décimos de segundo (Greg Ellingson/Facebook)

Segundo o motorista azarado, o carro que colidiu em sua traseira aparentemente não estava prestando atenção no trânsito. “Ele não estava pisando no freio quando bateu em mim, ele estava acelerando”, escreveu nas redes sociais.

Greg aproveitou para elogiar a atuação da polícia de Connecticut e do sistema Honda Link, um concierge eletrônico similar ao Chevrolet OnStar.

Mesmo que seja possível reparar, e a dor de ter um carro novinho destruído?

Mesmo que seja possível reparar, e a dor de ter um carro novinho destruído? (Greg Ellingson/Facebook)

Greg também destacou que havia feito o “seguro de valor declarado”, também chamado de seguro para colecionadores. Nestas apólices a quilometragem que o carro deve rodar é limitada, mas a cobertura em caso de sinistro tem como base o valor que o proprietário estima para seu carro.

Como Greg acha que seu carro deu perda total, ele terá o reembolso do gasto no esportivo – que será reaplicado em outro Civic Type R.

Os airbags não foram deflagrados, mas isso não significa que o estrago seja pequeno

Os airbags não foram deflagrados, mas isso não significa que o estrago seja pequeno (Greg Ellingson/Facebook)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Victor Hugo Pinheiro Cunha

    Azarado mesmo. Mas seguro morreu de velho.
    E tem gente que acha que previdência social não devia ser obrigatória…
    Todo seguro devia ser obrigatório.

  2. Com certeza ele se torna uma perda total pela depreciação e custo do reparo, diferente do Brasil que o carro capota, vai parar no fundo do lago é concertado e vira seminovo baixa km oportunidade, lá tudo fica registrado no chassi do carro, pelo nível do dano uma revenda conceituada só compraria o carro para vender em leilão, sequer colocaria no pátio para vender. Por isso existem carros “novos” com valores absurdamente baixos, apesar de reparados Com certeza tem um histórico bem ruim de acidentes e ou problemas mecânicos graves.
    Esse carro com certeza irá para leilão desta forma que está, algum latino irá comprá-lo, concertar e ser bem feliz com ele por muitos anos.