Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Chevrolet Onix ficará com a produção suspensa por dois meses

Compactos terão produção por apenas alguns dias em março e podem permanecer com a produção interrompida até junho; hatch já perdeu a liderança nas vendas

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 21 mar 2021, 14h08 - Publicado em 18 mar 2021, 21h42
Chevrolet Onix na Linha de montagem da fábrica de Gravataí/RS
Divulgação/Chevrolet

A nova geração do Chevrolet Onix e do sedã Chevrolet Onix Plus estão com a produção paralisada desde o início de março. As linhas e produção serão reativas na próxima segunda-feira (22), mas não por muito tempo.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 7,90.

Isso porque a produção na fábrica da General Motors em Gravataí (RS) ficará suspensa entre abril e maio, adiantou o site Mobiauto. Em nota, a fabricante confirmou a informação e disse mais: essa interrupção pode se estender até junho e a produção seria retomada por completo apenas em julho. Confira:

“A cadeia de suprimentos da indústria automotiva na América do Sul tem sido impactada pelas paradas de produção durante a pandemia e pela recuperação do mercado mais rápida que o esperado. Isso está afetando de forma temporária nosso cronograma de produção na fábrica de Gravataí (RS). A produção nesta unidade será interrompida nos meses de abril e maio, podendo ter efeitos em junho, retornando ao volume de produção regular em julho.”

onix
Fernando Pires/Quatro Rodas

O Chevrolet Onix foi o carro mais vendido do Brasil em 2020 pelo sexto ano consecutivo. Mas uma longa parada como essa ameaça seu título: o hatch compacto já foi ultrapassado pela Fiat Strada na apuração de emplacamentos até o dia 17. Enquanto a picape teve 6.316 emplacamentos, o Onix teve 5.513 unidades registradas.

Continua após a publicidade
  • A produção por pouco mais de uma semana a partir do dia 22 não será das maiores pode não dar conta da demanda de dois meses inteiros.

    Novo Onix Plus Premier (7)

    A falta de componentes na indústria é generalizada. Afeta todos os continentes e não só a indústria automotiva. Mas cada fabricante lida com a falta de componentes específicos. Honda, Fiat e GM reconhecem estão ou estiveram com produção de algum modelo suspensa no Brasil.

    Nos Estados Unidos, a GM precisou retirar o sistema de desativação dos cilindros das picapes Chevrolet Silverado e GMC Sierra por falta de componentes eletrônicos, mas houve notícias de que até mesmo espumas para bancos estiveram em falta. E a estimativa de especialistas é que a cadeia produtiva global só será normalizada no segundo semestre do ano, com a questão dos chips eletrônicos podendo durar mais tempo.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    capa 743
    Arte/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade