Clique e assine por apenas 8,90/mês

Caoa formaliza interesse, mas ainda não confirma compra de fábrica da Ford

Grupo brasileiro dá prazo de 45 dias para concluir aquisição do complexo que seria fechado pela marca americana no fim do ano

Por Leonardo Felix - Atualizado em 3 set 2019, 17h03 - Publicado em 3 set 2019, 16h49
Arte/Quatro Rodas

O grupo Caoa ratificou nesta terça-feira (3) a intenção de comprar a fábrica da Ford em São Bernardo do Campo (SP), que seria fechada no fim deste ano.

O anúncio foi liderado pelo governador do estado, João Doria, em coletiva com presença do empresário fundador da Caoa, Carlos Alberto de Oliveira Andrade, e também do presidente da Ford na América do Sul, Lyle Watters.

Valores oficiais não são informados, mas o investimento certamente será acima de R$ 1 bilhão, piso necessário para que a operação consiga receber os benefícios fiscais do programa estadual IncentivAuto, incluindo isenção de 25% de ICMS.

Segundo Doria, o negócio deve ser enfim concluído dentro de 45 dias, portanto em meados de outubro (e a poucas semanas do encerramento definitivo das operações da Ford na unidade).

Continua após a publicidade
Fábrica da Ford em São Bernardo do Campo Divulgação/Ford

No complexo do ABC paulista, a Caoa deve assumir a produção de caminhões da Ford e, talvez, investir também em uma linha de montagem de automóveis.

Atualmente, o grupo opera as fábricas que de Jacareí (SP) – de onde saem os compactos Caoa Chery QQ, Tiggo 2 e Arrizo 5 – e Anápolis (GO) – linha dos SUVs Caoa Chery Tiggo 5X e 7, além dos Hyundai ix35 e Tucson.

Nessas duas outras fábricas, ocorre apenas a montagem dos veículos em sistema CKD.

Ainda não estão confirmados quais modelos de carro serão produzidos, mas tudo indica que serão automóveis da própria Chery.  Vale lembrar que, além de carros a combustão, a Caoa pretende nacionalizar a fabricação de automóveis elétricos da marca chinesa.

Continua após a publicidade

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, uma reunião com a direção da Caoa ocorreu na segunda (2) a fim de tratar do acordo trabalhista para contratar pelo menos parte dos 3.000 funcionários demitidos pela Ford no ABC.

De acordo com o órgão, hoje já há menos de 600 trabalhadores ainda ativos na fábrica. A nova operação da Caoa deve promover a contratação de 750 funcionários num primeiro momento.

Volte em instantes para mais informações.

Publicidade