Audi RS 4 Avant, a perua de R$ 546.990 que nos salva da ditadura dos SUVs

Teste: no momento em que esse segmento respira por aparelhos, a nova Audi RS 4 Avant é a injeção de oxigênio de que precisamos

Porta-malas com abertura elétrica é padrão na RS 4

Porta-malas com abertura elétrica é padrão na RS 4 (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Especialistas afirmam que a tolerância é um dos segredos dos casais bem-sucedidos. Se você é muito fã da Audi RS 4 Avant, é bom praticar isso e não deixar que a troca do motor V8 4.2 aspirado pelo V6 2.9 biturbo estrague sua relação.

Os argumentos são bons: além de voltar às origens (o primeiro RS4, de 1999, tinha motor V6 2.7 biturbo de 380 cv), o novo 2.9 entrega os mesmos 450 cv, mas acompanhados de 61,2 mkgf de torque contra 43,8 mkgf do V8. A diferença, de 17,4 mkgf, equivale a um Honda HR-V 1.8.

Suspensão é 7 mm mais baixa que a do S4 e para-lamas são alargados em 3 cm

Suspensão é 7 mm mais baixa que a do S4 e para-lamas são alargados em 3 cm (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A Audi ainda fala de consumo 17% menor, graças a estratégias como manter as válvulas de admissão abertas por mais tempo para receber mais ar.

As médias de 8,1 km/l em ciclo urbano e 11,5 km/l no rodoviário obtidas no nosso teste de pista são boas, mas só para esportivos.

Os dois turbos, instalados no meio do motor, geram 1,5 bar

Os dois turbos, instalados no meio do motor, geram 1,5 bar (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Outra concessão a ser feita diz respeito ao câmbio.

O elogiável S-Tronic, de dupla embreagem e sete marchas, deu lugar ao automático de oito marchas com função Tiptronic (já usado pelos RS 6 e RS 7) e capaz de suportar o torque maior do novo motor sendo quase tão rápido quanto.

Faróis full-led e lanternas de led são de série na perua

Faróis full-led e lanternas de led são de série na perua (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A tração integral quattro, que acompanha a perua desde o início da sua linhagem, em 1995, com a RS 2 está mantida.

Por padrão, envia 40% da força para as rodas dianteiras e 60% para as traseiras, mas essa distribuição pode mudar para até 70% na frente ou 85% para trás, dependendo da exigência.

A grade colmeia toda preta, o para-choque dianteiro com tomadas de ar enormes e os para-lamas alargados em 3 cm (responsável pelas entradas de ar ao lado dos faróis e das lanternas), as enormes saídas de escape traseiras e as belas rodas aro 20 são um prenúncio do que esta perua é capaz de fazer por você – e com você.

Rodas aro 20 são padrão no Brasil, assim como os discos perfurados

Rodas aro 20 são padrão no Brasil, assim como os discos perfurados (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A tecnologia permite que existam vários carros dentro de um só. A RS4 Avant é mais tolerante a buracos e a pisadas no acelerador em modo Comfort.

É a face da perua que pode levar até quatro adultos e toda a bagagem (o porta-malas tem 505 litros de capacidade até a linha de cintura) e que se destaca pelo ar-condicionado com três zonas de temperatura e pelas três opções de massagem no banco do motorista.

O sistema de som Bang & Olufsen com 755 watts de potência até tem alguma função.

Central multimídia é comandada por botões e touchpad no console

Central multimídia é comandada por botões e touchpad no console (Christian Castanho/Quatro Rodas)

 (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Mas é um carro de vocação esportiva, que traz um cronômetro no head-up display e mostradores de torque e potência no quadro de instrumentos digital.

No modo Dynamic, revela-se a fúria de quem está cansada de ser trocada por SUVs apenas por ter posição de dirigir mais baixa e pelo risco de raspar em rampas de garagem.

RS 4 tem bancos do tipo concha com revestimento de Alcantara e couro

RS 4 tem bancos do tipo concha com revestimento de Alcantara e couro (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O peso maior da direção e a pronta resposta do acelerador são notáveis. O câmbio aproveita ao máximo cada marcha antes de convocar a seguinte, anunciando o momento com um tranco proposital e uma embaralhada no ronco do motor.

Culpa dos dois flaps, instalados no escape só para deixar o barulho mais grave e encorpado.

Ar-condicionado com três zonas

Ar-condicionado com três zonas (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Por fim, a suspensão fica bem mais firme, a ponto de fazer o carro chacoalhar em irregularidades como carros de suspensão fixa.

Os amortecedores da RS 4 têm válvulas controladas eletronicamente que restringem ou facilitam a passagem do fluido hidráulico, dependendo do modo de condução.

Nesse caso, também atuam para impedir que a carroceria se movimente em acelerações ou frenagens.

Quadro de instrumentos digital pode mostrar a entrega de torque e potência em tempo real

Quadro de instrumentos digital pode mostrar a entrega de torque e potência em tempo real (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A arrancada com o controle de largada é estúpida. Os largos pneus 275/30 quase não cantam e cada troca de marcha é acompanhada de um coice.

Levou só 4,2 s para atingir 100 km/h e, em instantes, a RS4 alcançava o limite de frenagem de nossa pista a 245 km/h – a máxima é limitada a 250, mas opcionalmente é possível liberá-la para alcançar 280 km/h.

Porta-malas leva 505 litros de capacidade

Porta-malas leva 505 litros de capacidade (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Também pode-se pagar à parte por discos de freio carbono-cerâmicos, assistente de permanência em faixa, assistente de luz alta e piloto automático adaptativo. Isso, num carro com preço inicial de R$ 546.990 – ou R$ 122.000 mais caro que um Q7 V6.

Hoje, existem apenas dois tipos de perua no Brasil: a velha Weekend, e as de luxo. A Audi RS 4 Avant é uma das melhores – e menos racionais – escolhas que você pode fazer para defendê-las.

Teste (com gasolina) – Audi RS 4 Avant

  • Aceleração de 0 a 100 km/h: 4,2 s
  • Aceleração de 0 a 1.000 m: 22,7 s – 233,01 km/h
  • Retomada de 40 a 80 km/h: 2,1 s (em D)
  • Retomada de 60 a 100 km/h: 5,4 s (em D)
  • Retomada de 80 a 120 km/h: 2,7 s (em D)
  • Frenagens de 60/80/120 km/h a 0: 13,8/22,9/52,3 m
  • Consumo urbano: 8,1 km/l
  • Consumo rodoviário: 11,5 km/l
  • Velocidade máxima: 250 km/h*

*Dado de fábrica

Ficha técnica

  • Preço: R$ 546.990
  • Motor: gas., diant., longit., V6, 2.894 cm3, 24V, 84,5 x 86 mm, 10:1, 450 cv entre 5.700 e 6.700 rpm, 61,2 mkgf a 1.900/5.000 rpm
  • Câmbio: automático, 8 marchas, tração integral
  • Suspensão: independente do tipo five link (diant. e tras.)
  • Freios:  discos ventilados ventilados e perfurados (diant. e tras.)
  • Direção: elétrica
  • Rodas e pneus: liga leve, 275/30 R20
  • Dimensões: comprimento, 478,1 cm; largura, 186,6 cm; altura, 140,4 cm; entre-eixos, 282,6 cm; altura livre do solo, n/d; peso, 1.715 kg; tanque, 58 l; porta-malas, 505 l
Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s