Clique e assine com até 75% de desconto

Aston Martin vai escanear corpo dos proprietários do Valkyrie

Assento do supercarro será moldado com base em dados coletados por escaneamento corporal

Por Vitor Matsubara 25 Maio 2017, 13h15
Hiperesportivo terá mais de 1.000 cv divulgação/Aston Martin

A Aston Martin vai escanear o corpo dos futuros proprietários do Valkyrie para fazer um banco sob medida e garantir uma posição de dirigir próxima da perfeição. O hiperesportivo será desenvolvido em conjunto com a Red Bull Advanced Technologies, responsável por projetar os bólidos da equipe da empresa de bebidas energéticas na Fórmula 1.

“Não estamos focados em fazer o carro mais rápido do mundo, e sim em lançar o carro mais dinâmico possível de pilotar. Assim como na Fórmula 1, o vencedor não é necessariamente aquele que atinge a maior velocidade, contorna as curvas mais rapidamente ou acelera mais”, declarou Patrik Nilsson, presidente da Aston Martin Ásia à emissora CNBC.

Projeto foi desenvolvido com a ajuda de Adrian Newey divulgação/Aston Martin

Durante o projeto do Valkyrie, a Aston Martin contou com a preciosa ajuda de Adrian Newey, simplesmente o projetista mais renomado e bem sucedido da história da F-1, com nada menos que dez títulos de construtores por três equipes diferentes (Williams, McLaren e Red Bull).

Chassis é todo feito de fibra de carbono divulgação/Aston Martin

Construído sobre uma plataforma de fibra de carbono, o Valkyrie terá aproximadamente 1.000 kg. Trata-se de um peso extremamente baixo considerando que o hiperesportivo terá mais de 1.000 cv, resultando em uma relação peso/potência de 1:1.

Tanta potência será extraída de um motor 6.5 V12 com aspiração natural, assistido por um sistema de recuperação de energia cinética (KERS) semelhante ao utilizado nos carros de Fórmula 1.

Motor 6.5 V12 terá aspiração natural e KERS divulgação/Aston Martin

Apenas 150 unidades homologadas para uso em ruas e outras 25 voltadas para uso exclusivo em pistas serão produzidas. As entregas serão realizadas a partir de 2019, mas a má notícia é que todos os exemplares já foram vendidos.

Todas as 150 unidades produzidas já foram vendidas divulgação/Aston Martin

Embora a marca não tenha divulgado o valor de compra, a estimativa é que cada cliente pagou 3 milhões de libras esterlinas pelo carro, ou quase R$ 13.000.000 na conversão direta!

  • Continua após a publicidade
    Publicidade