Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Carro elétrico que não precisa ser carregado já está à venda

Painéis solares, baterias eficientes e aerodinâmica fazem do Aptera autossuficiente em energia — quase sempre

Por Eduardo Passos 9 dez 2020, 16h54
Não se trata de projetos utópicos: o Paradigm já está à venda e com seu protótipo rodando pela Califórnia
Não se trata de projetos utópicos: o Paradigm já está à venda e com seu protótipo rodando pela Califórnia Reprodução/Aptera

Se pontos de recarga são um dos principais obstáculos à popularização dos carros elétricos, uma fabricante americana decidiu eliminar a necessidade de conectar os EVs à tomada. Desse modo, a californiana Aptera Motors apresentou carro abastecido por energia solar, que já está à venda.

Vitória pelo sol

Ao menos um Paradigm já foi fabricado. Resta saber se ele cumpre o que promete
Ao menos um Paradigm já existe. Resta saber se ele cumpre o que promete Reprodução/Aptera

Para entender como o Aptera Paradigm funciona, é necessário compreender primeiro seus painéis solares, que, através do efeito fotovoltaico, criam corrente elétrica pela luz solar.

Black Friday na Quatro Rodas! Clique aqui e assine por apenas R$ 7,90

De toda luz que chega aos painéis, parte é refletida sem ser absorvida (3%), parte não gera eletricidade por conta do comprimento de onda (19%) e parte é convertida apenas em calor (33%). Tudo isso, somado a outras perdas, faz com que mesmo as placas mais avançadas tenham rendimento de apenas 20%, aproximadamente.

Os 180 painéis somam quase 3 m² de placas fotovoltaicas
Os 180 painéis somam quase 3 m² de placas fotovoltaicas Reprodução/Aptera

Para que essa energia seja suficiente, o primeiro passo foi criar um triciclo (sim, o Paradigm não é tratado legalmente como carro nos EUA) altamente aerodinâmico. Sem preocupação com aparência tradicional, os engenheiros chegaram a um coeficiente aerodinâmico (Cx) de apenas 0.13. A título de comparação, isso é quatro vezes menos que um Fusca (0.49) e metade do Tesla Model S (0.24).

Ao todos, as rodas e pneus pesam 18 kg
Ao todos, as rodas e pneus pesam 18 kg Reprodução/Aptera

Além disso, o Paradigm é construído quase totalmente em material compósito, substituindo partes outrora metálicas por compostos plásticos leves e altamente resistentes. Sem informar o peso do bólido, a montadora ressaltou apenas que ele possui três partes estruturais que se encaixam e se apoiam, ao contrário da tradicional plataforma como base à carroceria.

Tudo isso mais baterias com alto poder de armazenamento garantem, segundo a fabricante, até 1600 km de autonomia. As baterias, claro, absorvem energia solar principalmente enquanto o veículo está estacionado. Durante o movimento, elas apenas recuperam parcialmente o que é gasto na locomoção.

A cabine é pouco maior que o porta-malas de um SUV: cerca de 707 litros
A cabine é pouco maior que o porta-malas de um SUV: cerca de 707 litros Reprodução/Aptera

Como a incidência solar é essencial para o sucesso do Paradigm, a Aptera criou uma calculadora para estimar a autonomia do carro ao redor do globo. No Sul e Sudeste do Brasil, por exemplo, um motorista que rode 50 km por dia precisaria carregar o carro na tomada apenas duas vezes ao ano. 

Continua após a publicidade
A carroceria 'absorve' os painéis fotovoltaicos como parte do design
A carroceria ‘absorve’ os painéis fotovoltaicos como parte do design Reprodução/Aptera

Em alguns pontos do Nordeste, é possível ter essa mesma autonomia sem sequer recorrer à tomada. Na Amazônia, entretanto, o excesso de nuvens reduz a autonomia diária com duas cargas/ano em cerca de 8 km frente à média brasileira.

Especificações

Guiado pela eficiência, o Paradigm é tecnológico mas sem luxo. Quem se irrita com os carros ‘plásticos’ brasileiros ficará apavorado com o interior quase feito via impressoras 3D e coberto por tecidos finos.

O interior é minimalista e os bancos finos se assemelham aos de aviões comerciais
O interior é minimalista e os bancos finos se assemelham aos de aviões comerciais Reprodução/Aptera

Há quase nada além dos dois assentos, volante, display de 15 polegadas e duas telinhas laterais, que exibem as imagens das câmeras que substituem retrovisores. Kits adicionais ainda podem ser adquiridos, acrescentando sistema de áudio, direção semi-autônoma e até pacote off-road ao modelo. 

Aptera Paradigm
Aptera/Divulgação
A entrega dos Paradigm começa a partir do ano que vem
A entrega dos Paradigm começa a partir do ano que vem Reprodução/Aptera

O Paradigm terá opção de tração nas três rodas ou apenas nas rodas dianteiras. O carro promete ir de 0 a 100 km/h em cerca de 3,5 s, atingindo até 110 km/h limitados eletronicamente.

A fabricante reforça que mesmo depois de entregues, as unidades podem ser melhoradas com novas peças e componentes, instaláveis de maneira modular.

Interessados em adquirir o ‘incarregável’ Paradigm, devem acessar o site da Aptera e pagar uma taxa de US$ 100 como sinal de interesse.

Ao longo do ano que vem, os futuros proprietários serão contactados para combinar a entrega do carro e o pagamento. Os preços variam de US$ 25.900 a US$ 46.900, dependendo das configurações.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Capa 739

Continua após a publicidade
Publicidade