Clique e assine por apenas 8,90/mês

Alfa Romeo admite vontade de voltar à F-1

CEO da empresa disse que retorno precisa acontecer 'de qualquer jeito'

Por Vitor Matsubara - Atualizado em 23 nov 2016, 20h55 - Publicado em 19 abr 2016, 14h18
300315-col-13.jpg
Marca conquistou os dois primeiros campeonatos da F-1 nos anos 50

A Alfa Romeo voltou a alimentar as esperanças de quem gostaria de vê-la novamente na Fórmula 1. Tudo por causa de uma declaração dada pelo CEO da Alfa Romeo, Sergio Marchionne, durante o último GP da China.

“A F-1 é o máximo da expressão tecnológica automotiva do mundo. Considerando os objetivos da Alfa Romeo, acredito que a opção (de retornar à categoria) deve ser considerada. O mito da Alfa nasceu com as corridas e, de alguma forma, temos de voltar a isso”, afirmou.

Não é de hoje que o nome da tradicional marca italiana vem sido associado à categoria mais famosa do automobilismo mundial. Resta saber apenas como a Alfa entraria na F-1, o que poderia ser feito por meio do fornecimento de motores (algo que a empresa já havia tentado com a Toro Rosso neste ano) ou pela aquisição de uma equipe.

Atualmente, a alternativa mais viável seria adquirindo a Sauber. O time suíço passa pela maior crise de sua história e possui uma infraestrutura de primeira linha em Hinwil, na Suíça, herdada dos tempos da parceria com a BMW. 

Continua após a publicidade

A Alfa Romeo, por sua vez, está fora da Fórmula 1 desde 1988, quando produziu os motores para a Osella, defendida por Nicola Larini. Como equipe, a marca conquistou os dois primeiros campeonatos da Fórmula 1, disputados em 1950 e 1951, com a dupla Juan Manuel Fangio e Nino Farina.

Publicidade