Clique e assine por apenas 5,90/mês

Achou o Nivus inovador? Estes cinco VW do passado já antecipavam o visual

Estilo cupê com quatro portas fez tanto sucesso que modelo chegará à Europa, mas as referências de desenho já existem desde a década de 1960

Por Gabriel Aguiar - Atualizado em 6 jun 2020, 18h35 - Publicado em 6 jun 2020, 07h00
Nivus e Pointer têm semelhanças, mas não são os únicos Arte/Quatro Rodas

O novo VW Nivus tem fórmula simples: base de Polo e estilo SUV-cupê que está na moda.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Mas o visual criado aqui no Brasil não é tão inédito assim – e nem estamos falando (só) do Pointer, que virou meme nas últimas semanas. Confira cinco exemplos dentro da própria marca.

1. Pointer

1994: Pointer, design brasileiro premiado lá fora
Pointer GTi tinha a mesma silhueta do Nivus arquivo/Quatro Rodas

Não percebemos a coincidência até sermos alertados pelo leitor Yuri Leite no Facebook. Fato é que nossa capa da edição atual, para junho, é incrivelmente semelhante àquela publicada em 1993. Não apenas pelos tons, mas também pela silhueta bem parecida dos carros.

Fruto da Autolatina – aliança formada por Ford e VW na América Latina –, o Pointer tinha base de Escort e chegou a ser considerado um dos modelos mais bonitos já feitos pela empresa. Se fracassou no mercado, certamente continuará lembrado como ícone pelo desenho.

2. Fusca 4-portas

Versão de quatro portas existiu apenas como protótipo Divulgação/Volkswagen

Essa referência pode até causar espanto, já que o Fusca nunca foi um cupê. Mas vale a licença poética, já que, levando o regulamento ao pé da letra, o modelo sempre foi um sedã. Só que o parentesco fica realmente evidente quando resgatamos o obscuro projeto de quatro portas que não chegou a vingar.

Já explicamos todos os detalhes dessa história curiosa, que acabou resultando no primeiro Golf e, de certa forma, influenciou até mesmo o nosso Gol. E, apesar de manter o desenho parecido com o original, essa deveria ter sido a segunda geração do Fusca (que nunca existiu).

Continua após a publicidade

3. Passat 4-portas

Fastback ou sedã, será que alguém se importava?
Fastback ou sedã, será que alguém se importava? Christian Castanho/Quatro Rodas

Não é difícil reconhecer as semelhanças da primeira geração do Passat com o lançamento mais recente da VW. Na verdade, a versão de cinco portas, ainda mais parecida com o Nivus, nunca foi vendida aqui – apesar da fabricação nacional –, mas fez sucesso nas exportações.

Se o fastback já nasceu com passaporte carimbado, pelo menos tivemos a carroceria sedã de quatro portas (aliás, a denominação que gera controvérsias até os dias atuais). Lançada em 1975, apesar um ano após o modelo chegar ao nosso mercado, a configuração já antecipava o estilo do SUV cupê.

4. 1600 TL

VW 1600 TL sem a tampa que abre o vidro, como na Variant Xico Buny/Quatro Rodas

Assim como o Nivus, o VW 1600 TL foi criado por brasileiros e chegou às concessionárias há 50 anos apenas com carroceria cupê de duas portas. Mas, já na metade de 1971, uma versão com quatro portas – batizada “modelo 109” – surgia como a principal novidade da marca.

Assim como o lançamento mais recente da VW, previsto para chegar às lojas no mês de julho, o veterano TL tinha caimento suave do teto logo após a segunda fileira (de maneira que não roubasse espaço para a cabeça dos passageiros) e vidro triangular na terceira coluna.

5. Typ 4

Visual do Typ 4 vendido na Europa remetia ao nosso 1600 TL Internet/Reprodução

Desconhecido dos brasileiros, o Typ 4 foi o sucessor do Typ 3 – modelo equivalente aos nossos primeiros Variant e TL – na Europa. Só que, diferentemente dos carros criados no Brasil, esses VW não agradaram pelo desenho (principalmente no 411, versão pré-reestilização).

Assim como nosso modelo 109, o Typ 4 também foi oferecido no Velho Continente com opção de carroceria cupê de quatro portas. Apenas quatro anos depois do lançamento, chegou o 412 com visual atualizado, mais parecido com os nossos carros, e com a mesma silhueta.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da nova edição da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Fernando Pires/Quatro Rodas
Continua após a publicidade
Publicidade