Clique e assine por apenas 8,90/mês

Guia de Usados: Renault Sandero R.S.

Mal-acabado, pouco equipado e beberrão. Ainda assim ele conquistou um numeroso fã-clube pelo desempenho e custo/benefício

Por Felipe Bitu - 1 ago 2018, 12h13
Renault Sandero
Pista não é problema para ele: aguenta o tranco mesmo nos piores track days Marco de Bari/Quatro Rodas

O Sandero R.S. é um raro exemplo de esportivo nacional que foi além do visual: sofreu alterações de fábrica em motor, câmbio, suspensão e freios sem cobrar muito por isso.

Desenvolvido pela área de competições Renault Sport, ele é mais que um Sandero 2.0.

O motor F4R do Duster foi recalibrado: com bloco de ferro, cabeçote 16V e admissão variável, faz 150/145 cv a 5.750 rpm, entregues de maneira linear graças ao torque de 20,9/20,2 mkgf a 4.000 rpm.

090915-sanderors-07a.jpg
Com 150 cv se abastecido com etanol, motor 2.0 16V é quase o mesmo do Duster Marco de Bari/Quatro Rodas

Um motor que responde de maneira imediata devido ao câmbio manual de seis marchas e peso de 1.161 kg.

O resultado é um peso/potência de 7,7 kg/cv, imbatível para um carro que custava menos de R$ 60.000 na estreia, em setembro de 2015. Ao volante, parece ser mais rápido que os 10 s do seu 0 a 100 km/h.

Continua após a publicidade

 

Isso se deve às modificações em suspensão, direção (virou eletro-hidráulica) e freios (disco nas quatro rodas).

Renault Sandero
O acabamento interno é o ponto mais crítico Marco de Bari/Quatro Rodas

No painel há um seletor para três modos de condução: Normal, Sport (altera resposta do acelerador e ronco do motor) e Sport+ (desliga o ESP).

Tudo isso fez do R.S. um carro frequente nos track days: os donos dizem que ele suporta muito bem um dia inteiro na pista.

Mas nem tudo são flores: o acabamento interno é o ponto mais crítico, com diversos ruídos provocados por plásticos de baixa qualidade rígidos e mal encaixados.

Continua após a publicidade
090915-sanderors-04a.jpg
Controle de estabilidade (ESP) pode ser desligado ou usado no modo mais permissivo, o Sport Marco de Bari/Quatro Rodas

Presente até em modelos novos, o problema se agrava nos modelos com maior quilometragem.

Não se iluda com os bancos esportivos, volante menor e detalhes vermelhos no interior: o pacote de segurança deixa a desejar com dois airbags e controles de tração e estabilidade.

A central multimídia é a mesma de outros Renault e não traz Apple CarPlay, Mirror Link ou Android Auto.

Renault Sandero
Quatro portas e 320 litros de bagagem: boa opção para o dia a dia Marco de Bari/Quatro Rodas

O alto consumo de combustível é outro problema, mas natural em função do comportamento arisco que instiga a uma tocada agressiva. Ainda assim, o Sandero R.S. se mostra uma opção prática e viável para o dia a dia.

Há também a série numerada de 1.500 carros R.S. Racing Spirit, com pinça de freio vermelha, pneus Michelin Pilot Sport 4 em rodas aro 17.

Continua após a publicidade

Por ter boa fama e ser barato, é comum encontrar carros com alterações mecânicas, mas lembre-se de que com isso ele perderá a garantia de três anos.

090915-sanderors-06a.jpg
Rodas de 17 polegadas são os únicos opcionais Marco de Bari/Quatro Rodas

Para ajudar, suas peças são facilmente encontradas por valores razoáveis na rede autorizada, uma mão na roda para quem deseja um brinquedão desses sem gastar muito.

Onde o bicho pega

Embreagem  O escalonamento fechado do câmbio faz com que a embreagem seja muito solicitada. Funcionamento irregular denuncia que ela foi comprometida ou tem qualidade inferior à original.

câmbio  Troque as marchas rapidamente e verifique se não há ruídos anormais: uma arranhada é indício claro de desgaste no anel sincronizador. O reparo não sai por menos de R$ 2.000.

Suspensão e freios  A calibração firme da suspensão cobra seu preço na vida útil de batentes, bieletas e buchas. Já os freios, podem apresentar em casos extremos desgaste excessivo das pastilhas ou mesmo discos empenados.

Continua após a publicidade

Eixo traseiro  Atenção ao desgaste irregular dos pneus traseiros. É causado por variações na cambagem, provocadas pelo empenamento do eixo traseiro.

Cabeçote  Ruídos anormais podem ser um sinal de problemas no carregamento dos tuchos ou falta de pressão hidráulica para o correto funcionamento do variador no comando das válvulas de admissão.

Preparação  Evite alterações irreversíveis: injeção remapeada, taxa de compressão maior ou retirada do catalisador reduzem a vida útil do motor e eliminam a chance de aprovação numa futura inspeção veicular.

Além dos apliques e adesivos, Sandero R. S. 2.0 Racing Spirit recebeu pneus Michelin Sport Pilot 4 Renault/Divulgação

Preço médio dos usados

Modelo 2016 2017 2018
R.S. 51.588 54.790 57.507
R.S. Racing Spirit  59.724

Preço das peças

Peças Original Paralelo
Para-choque dianteiro 862 900
Farol completo (cada um) 724 660
Espelho retrovisor 485 365
Disco de freio (par dianteiro) 775 230
Pastilhas de freio (par dianteiro) 435 180
Amortecedores 1.373 1.020
Kit de embreagem 994 900
Correia dentada (kit) 460 400

A voz do dono

Nome: Hebert Cangueiro
Idade: 31 anos
Profissão: empresário
Cidade: Paulínia (SP)

O que eu adoro: “É incrivelmente robusto e preparado para andar rápido o tempo todo. Suspensão, freios e motor suportam um dia inteiro no autódromo sem apresentar nenhum problema ou perda de eficiência.”

O que eu odeio: “Ainda é um Sandero: o acabamento interno deixa a desejar e é fonte de ruídos. A rigidez do monobloco poderia ser melhor, e o consumo é elevado: a 120 km/h ele não faz mais que 8 km/l de etanol” 

Continua após a publicidade

Nós dissemos

Acervo/Quatro Rodas

Abril de 2016  “Tem suspensão rebaixada, molas mais rígidas e barras estabilizadoras reforçadas. O motor 2.0 16V foi remapeado e ganhou novo coletor de admissão para render 150 cv. Os para-choques são exclusivos, assim como as rodas de aro 17, ponteira dupla de escape e aerofólio. (…) O acabamento ruim lembra que estamos em um Sandero.”

Pense também em um…

acervo/Quatro Rodas

Peugeot 208 GT  Oferece câmbio manual de seis marchas, freios a disco nas quatro rodas e suspensão recalibrada, mas o motor THP 1.6 flex de até 173 cv o faz acelerar de 0 a 100 km/h em 8,2 s. A maior eficiência do turbo se mostra no consumo urbano, de 10 km/l. Seu preço mais alto se justifica pelo melhor acabamento e seis airbags.

Publicidade