Especial férias: nove dicas de ouro para uma direção segura na estrada

Combate ao sono, nada de celular, atitude positiva: os segredos para uma viagem tranquila

Celular e direção: risco de acidente 23 vezes maior

Celular e direção: risco de acidente 23 vezes maior (Mauricio Planel/Arte/Quatro Rodas)

Dirigir exige concentração e boa condição física e mental. Por isso, a primeira atitude a tomar é escolher um bom horário para viajar: o ideal é dar preferência àquele em que seu corpo está mais disposto.

A segunda é encarar a própria viagem como parte do passeio e não como um tempo insuportável que o separa do local de destino.

Dirigir de forma consciente e generosa significa levar em consideração as emoções das outras pessoas que estão no carro – fazer ultrapassagens ousadas ou andar sempre muito rápido pode ser desafiador para quem está ao volante, mas, além de ser perigoso, é desgastante para os demais passageiros.

Eliminada a questão da pressa, planeje uma parada a cada duas horas e encare como um momento de relaxamento e não um pit-stop que vai lhe tirar posições em uma corrida.

Não tente bater recordes pessoais na estrada: revezar o volante com outro motorista a cada 150 km ou 200 km também é uma boa tática, pois a viagem se torna menos cansativa.

Já não é novidade que a lei é rígida na questão das bebidas, portanto nenhuma gota de álcool pode estar no seu corpo ao pegar no volante. A multa por dirigir alcoolizado é de R$ 2.934,70, com suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

Se for configurado crime ao volante por estar alcoolizado, o motorista pode pegar uma pena de seis meses a três anos.

Além disso, o álcool afeta o córtex frontal, responsável pela coordenação motora, e também o cerebelo, responsável pelo equilíbrio e leitura espacial. Então, espere para beber (e comemorar) quando chegar ao seu destino.

O sono é outro inimigo da direção. Alguns remédios costumam dar sonolência, por isso é importante saber os efeitos dos medicamentos antes de ir para a estrada. Ansiolítico, nem pensar. Relaxantes musculares também não ajudam.

Além disso, o próprio cansaço da viagem pode provocar sonolência. Nesses casos, pare no primeiro posto e beba um café ou algo que lhe desperte. Nas paradas da estrada, procure comer alimentos leves, mas que dão energia.

Uma alimentação pesada (especialmente carne, que demora para fazer a digestão) provocará sono ao volante. Uma massa leve (sem molho) ou arroz integral “recarregam sua bateria rapidamente.

Finalmente, o uso do celular deve ser descartado. Se o carro tiver espelhamento, ótimo, use-o para ouvir músicas ou como navegador. Ou deixe a tarefa para o carona.

A distração com o próprio aparelho aumenta em 23 vezes o risco de acidentes, segundo um estudo realizado nos EUA.

Outro estudo, feito na Inglaterra, revela que o envio de mensagens ao volante retarda o tempo de reação em 35%, ou seja, quase três vezes mais do que a demora provocada pelo álcool.

Como dirigir de forma segura

1. Conheça seu carro

Parece bobagem, mas saber as características de seu carro é a primeira lição para realizar uma viagem segura. Se o seu veículo é um SUV, já saiba que o centro de gravidade dele é mais alto, o que prejudica a estabilidade nas curvas.

Se o automóvel é muito pesado, a distância numa frenagem de emergência será maior. Se for uma picape grande, lembre-se de que seu comportamento dinâmico na estrada é mais parecido com o de um caminhão.

Se o motor tem pouca potência, certamente as ultrapassagens serão mais demoradas.

2. Bagagem é coisa séria

Não adianta ter os pneus bem calibrados se você deixar a mala gigante, o engradado de cerveja e o cunhado de 110 kg do mesmo lado, enquanto do outro lado o peso está muito menor.

Procure distribuir o peso no carro para que ele tenha equilíbrio ao rodar. E nunca deixe peças pesadas soltas, pois em caso de acidente elas podem atingir a cabeça de alguém de forma muito violenta.

A bagagem também não pode encobrir a visão do vidro traseiro.

3. Não transforme o cinto de segurança em corda

Ele deve ser usado por todos os ocupantes. E não deixe que o passageiro da frente deite o banco e fique com o cinto na altura do pescoço, pois isso pode ser fatal em caso de acidente, com o efeito de uma forca.

4. Posição de dirigir tem regras

O assento do motorista não é um sofá no qual você deve deitar com o braço esticado apenas para alcançar o volante. O banco deve ser regulado de forma a garantir o melhor movimento do seu corpo.

As pernas não podem ficar muito esticadas. O encosto deve ficar numa posição que permita que, com os braços esticados, seus punhos toquem a parte superior da direção sem mexer os ombros quando você fizer um “xis” com os braços.

O volante deve ser segurado com as duas mãos. E a posição correta das mãos é tipo “10 para as 2” ou “15 para as 3” num relógio imaginário.

5. luzes ligadas

Os faróis mostram a posição do seu carro na estrada, especialmente numa ultrapassagem. Por isso, devem estar sempre ligados, mesmo de dia. À noite, jamais use farol alto ao cruzar com outro carro.

6. Ultrapassagem não é disputa

Se o outro carro dificultar sua passagem, espere outra oportunidade. A maioria dos acidentes frontais acontece nas retas, pois muitos motoristas não calculam corretamente a sua velocidade e a velocidade do veículo na direção contrária.

Procure fazer ultrapassagens sempre no início das retas, fora da faixa contínua, para ter mais tempo de recuar ou completar a ultrapassagem. O ideal é iniciar a ultrapassagem com o motor em rotação alta, para ter bom desempenho.

Ultrapassar pela direita é permitido nas rodovias de duas ou três faixas, se o seu carro estiver mais rápido, mas não é permitido “cortar” o carro pela direita e depois retornar à faixa da esquerda (isso dá multa de R$ 130,16, mesmo valor para quem não dá passagem pela esquerda quando ela é solicitada).

7. Freie sempre antes da curva

Nem piloto de Fórmula 1 freia quando está fazendo a curva, mas sim antes dela. O carro deve ser freado em linha reta e a reaceleração deve ser suave ao contornar a curva. Procure fazer a tangência correta na curva, sem a necessidade de corrigir a trajetória.

8. Acostamento não é pista

Mesmo nos momentos de congestionamento, nunca use o acostamento como pista de rodagem. Você pode atrapalhar um carro de socorro, por exemplo, ou provocar um acidente, pois essa manobra não é esperada pelo carro da frente.

A infração para quem ultrapassa pelo acostamento em rodovias é gravíssima, com multa de R$ 1.467,35.

9. Fuja do “sabão” na chuva

Pneu careca na chuva é igual a carro de F-1 com pneu slick: é rodada na certa. Dá para dirigir com segurança na água, desde que os pneus estejam em bom estado e a visibilidade não esteja muito ruim.

Aumente a distância para o carro da frente e evite ultrapassagens em alta velocidade com spray do outro carro. Atenção: nunca “pise” na faixa, pois a tinta funciona como um sabão para os pneus.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s