Clique e assine por apenas 8,90/mês

Qual a diferença entre ABS e EBD e como eles atuam no freio?

Eles são sistemas eletrônicos complementares que melhoram a segurança em frenagens

Por Redação - Atualizado em 25 set 2018, 10h36 - Publicado em 5 abr 2016, 16h24

Mégane, da Renault, durante teste de freios com ABS, feito pelo Cesvi Brasil

Meu carro possui freios com ABS e EBD. Qual a diferença entre eles?  – Olívio Matoso, Florianópolis (SC).

São sistemas eletrônicos complementares que auxiliam a frenagem.

Numa situação de frenagem, quando os sensores de rotação do ABS (Anti-lock Braking System) percebem que a roda está prestes a travar, a unidade de comando retira a pressão do pedal, mandando o fluido de freio de volta para ser reservatório.

Continua após a publicidade

Tal ação impede o travamento das rodas, mantendo o controle do motorista sobre a trajetória com o maior poder de frenagem possível.

Como o ciclo se repete várias vezes por segundo, é comum (principalmente em modelos mais antigos) que o motorista sinta uma trepidação no pedal – nos modelos mais recentes, essa sensação foi praticamente eliminada.

Já o EBD (Electronic Brake force Distribution) trabalha em conjunto com o ABS e tem a tarefa de dosar a potência de frenagem entre os eixos dianteiro e traseiro, garantindo maior eficiência ao sistema.

Sensores instalados nas rodas reconhecem a velocidade desenvolvida e principalmente a carga sobre cada eixo (por exemplo, numa perua ou picape carregada).

Continua após a publicidade

Com essas informações, o EBD regula a intensidade da aplicação dos freios de maneira independente em cada eixo, permitindo melhor estabilidade e controle, mesmo no caso de frenagens feitas em curvas.

 

Publicidade