Clique e assine com até 75% de desconto

Por que a indústria só oferece lâmpada de led em versões topo de linha?

Apesar de o primeiro carro de série a adotar a tecnologia ter sido lançado em 2009, a tecnologia ainda não chegou aos modelos de alto volume

Por Da Redação Atualizado em 12 jun 2018, 18h04 - Publicado em 12 jun 2018, 18h03
Farol FullLed Mercedes
Os faróis de led são mais eficientes que os de xenônio Divulgação/Mercedes-Benz

O custo da lâmpada de led é tão alto para que a indústria só ofereça esse equipamento nas versões topo de linha? – Zenilson Ricardo, Vitória da Conquista (BA)

Os diodos emissores de luz (LED, na sigla em inglês) ainda são uma tecnologia relativamente nova em aplicações automotivas – o Audi R8 V10, primeiro carro a adotar faróis totalmente em led, é de 2009.

Mas o sistema vem se popularizando rapidamente e já está disponível em modelos mais acessíveis (ou menos caros), como o Citroën C4 Lounge Shine, que custa R$ 102.790.

  • Muitos fabricantes, no entanto, optam por oferecer o recurso somente nos pacotes de equipamentos mais caros já que essa tecnologia agrega valor às versões topo de linha.

    Hoje já é possível afirmar que a questão do led não seja exclusivamente de custo. Trata-se de uma questão de marketing mesmo.

    A tecnologia que, por ora, tem custo proibitivo em modelos de alto volume é o laser. Mais uma vez, farois a laser também estrearam na linha de produção com o Audi R8 – superesportivo cujo preço está na casa dos sete dígitos.

    Continua após a publicidade
    Publicidade